Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 07/07/2017 - 09h27
Postado em Destaques, Notícias

07/07/2017 09h27 - Postado em Destaques, Notícias

Venda de máquinas sobe 21,8% no primeiro semestre

Somente de tratores de rodas novos foram vendidos 18,1 mil no período, um acréscimo de 26,5% ante o mesmo período do ano anterior

A venda de máquinas agrícolas e rodoviárias no primeiro semestre somou 21,3 mil unidades, resultando em alta de 21,8% sobre o mesmo período do ano passado. Só de tratores de rodas foram 18,1 mil, um acréscimo de 26,5%.

“Estamos a caminho da média dos últimos anos”, afirma o presidente da Associação Nacional dos. Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale, confiante nos desdobramentos que haverá do Plano Safra 2017/18, divulgado há cerca de um mês, com mais de R$ 190 bilhões em crédito para o produtor rural.

Mas leva algum tempo para que esse crédito chegue ao campo. “O BNDES distribuiu circular a respeito na terça-feira, 4. Até que os produtores acessem a linha, tenham o crédito aprovado e gerem o pedido na concessionária são pelo menos 40 dias. Assim, os reflexos começarão a surgir em agosto”, estima a vice-presidente da Anfavea, Ana Helena de Andrade.

Acreditava-se que a Anfavea revisaria para cima as projeções do setor por causa do crescimento expressivo nas vendas internas e exportações, mas a entidade preferiu aguardar talvez mais dois meses, sobretudo para avaliar os efeitos do Plano Safra. “Faremos uma análise mais cautelosa”, diz Ana Helena.

No fechamento do semestre nota-se também uma redução do ritmo de queda na venda de máquinas de construção como tratores de esteiras e retroescavadeiras: “Mas os volumes são muito pequenos para fazer uma análise precisa”, diz a executiva.

A produção desses modelos foi bastante afetada após 2014 pela falta de novas obras de infraestrutura, mas agora exibe alta em relação aos primeiros seis meses do ano passado. As retroescavadeiras somaram 1.540 unidades até junho de 2017 e alta de 3,8%. E os tratores de esteiras, 743 no total, anotaram crescimento de 17,4%. O motivo são as exportações, que cresceram mais de 30% para esses modelos e em 28,5% na média de todas as máquinas agrícolas e de construção. Ao todo o País embarcou 5,7 mil equipamentos. Ana Helena reconhece que as vendas externas ainda estão abaixo da média dos últimos anos, mas acredita na recuperação: “A tendência de alta é o que vale neste momento.”

Entre os destinos das máquinas se destacam os Estados Unidos e a Argentina. Na análise em valores, as exportações somaram US$ 1,2 bilhão e cresceram 35,1% sobre o mesmo período de 2016.

Fonte: Automotive Business

Título da Postagem: Venda de máquinas sobe 21,8% no primeiro semestre

imprensa@faep.com.br