Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 13/05/2013 - 12h00
Postado em Notícias

13/05/2013 12h00 - Postado em Notícias

USDA vê recomposição da oferta de grãos

Em sua primeira projeção para a produção de grãos no ciclo 2013/14, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) ratificou a expectativa de recuperação da oferta global. Segundo o governo americano, a produção mundial de soja pode crescer 6,1% e a de milho, 12,7%. Nos dois casos, o aumento deve ser puxado pelos EUA, […]

Em sua primeira projeção para a produção de grãos no ciclo 2013/14, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) ratificou a expectativa de recuperação da oferta global. Segundo o governo americano, a produção mundial de soja pode crescer 6,1% e a de milho, 12,7%. Nos dois casos, o aumento deve ser puxado pelos EUA, onde as colheitas tendem a se recuperar após a quebra da safra 2012/13.

O USDA também antevê um aumento de 7% na produção mundial de trigo, nesse caso, reflexo de um aumento da oferta na União Europeia, na Rússia e na Ucrânia.

Ainda são números prematuros. Os fazendeiros americanos estão apenas iniciando o plantio da nova safra, e brasileiros e argentinos apenas vão a campo no último trimestre. Mas, se as projeções se confirmarem, os estoques mundiais desses produtos devem crescer de maneira significativa ao fim da temporada. Os de soja e milho aumentariam 20% e 23%, respectivamente, e os de trigo, 3,5%. Mais uma vez, o aumento se concentraria nos EUA – só os estoques locais de milho podem crescer 154% em 2013/14.

Oferta maior significa preço mais baixo. Segundo o USDA, o preço médio da soja na safra 2013/14 pode ser 19,6% a 33% inferior ao praticado na safra atual. No milho, a queda é estimada em 26% a 37% e no trigo, em 4,5% a 21,1%. De positivo resta a expectativa de uma retomada no crescimento da demanda chinesa após um ano de estagnação. Segundo o USDA, as importações de soja da China podem crescer até 17% na próxima temporada.

Outro destaque no relatório do USDA foi o algodão. A expectativa é de que a produção mundial recue 2,6% em 2013/14, influenciada principalmente pelos Estados Unidos, onde a safra deve ser até 19% menor. Contudo, a demanda global deve ser insuficiente para absorver toda a oferta, o que deve resultar em um crescimento de 9,3% nos estoques.

Os mercados reagiram negativamente aos novos números. Na sexta-feira, em Chicago, os preços da soja caíram 0,69%, para US$ 13,99 por bushel, enquanto o milho recuou 2,03%, para US$ 5,5450 por bushel. O trigo fechou a US$ 7,0425, em baixa de 2,66%. Na semana, a soja acumulou alta de 0,85%, enquanto milho e trigo cederam 3,78% e 2,32%. Em Nova York, o algodão fechou a sexta em queda de 1,63%, a 86,48 centavos de dólar por libra-peso. Na semana, a pluma registrou perda de 0,30%.

Valor Econômico – 13/05/2013

imprensa@faep.com.br