Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 07/11/2013 - 12h00
Postado em Trigo

07/11/2013 12h00 - Postado em Trigo

Trigo: E o cereal do Paraná, quanto está custando aos moinhos?

Ontem escrevemos sobre preços de venda do trigo gaúcho aos moinhos, e atendendo a pedidos, trazemos hoje a situação do mercado de lotes do trigo paranaense, um mercado com oferta muito mais enxuta do que no Rio Grande do Sul e por isso ainda mais valorizado. Vendedores também reportam efeito da TEC. Na síntese das […]

Ontem escrevemos sobre preços de venda do trigo gaúcho aos moinhos, e atendendo a pedidos, trazemos hoje a situação do mercado de lotes do trigo paranaense, um mercado com oferta muito mais enxuta do que no Rio Grande do Sul e por isso ainda mais valorizado. Vendedores também reportam efeito da TEC.

Na síntese das conversas de hoje, vemos venda de trigo paranaense em compasso de espera. Tivemos nas últimas semanas o recebimento do trigo importado, com a chegada de navios ao Porto de Paranaguá e neste momento temos a isenção da TEC e a colheita gaúcha pressionando negativamente o ritmo da comercialização.

Outro ponto que pesa no ritmo de negócios é que a colheita com redução da qualidade em boa parte do Estado diminui a aptidão de venda dos lotes mais valorizados, e isso fica claro também ao observarmos os preços pagos aos produtores de trigo do Paraná, com pedidas na média a R$ 800/ton (R$ 48/sc) para um produto pão tipo 1.

Essas altas pedidas refletem a busca pelo produto com qualidade diferenciada (escasso no Estado) por parte das cooperativas e cerealistas, bem como a aposta em vendas futuras a preços compensadores.

Falando-se em preços, no Norte do Estado uma das fontes nos reportou R$ 850/ton para a venda aos moinhos de um trigo com padrão panificável. Outra fonte da mesma região afirmou que as pedidas de vendedores estão a R$ 900/ton ainda e que nestes preços negócios não saem (produto panificável). Um terceiro agente consultado na região reforçou que preços a R$ 850-880/ton tem sido vistos nos últimos negócios fechados.

 

No Noroeste, vendedor reportou que não tem oferecido pedidas de balcão (compras de produtores) e está fora de mercado de lotes (vendas aos moinhos) diante das quedas sucessivas de preços. Segundo o entrevistado, o ano safra tem 12 meses e o seu volume de trigo pão tipo 1 é tão pequeno, que ele pode se dar ao luxo de sair do mercado por algumas semanas.

Na região dos Campos Gerais, temos forte demanda por parte dos moinhos de Minas Gerais, estado sem litoral e que tem custos elevados na importação de trigo de fora do país e do Rio Grande do Sul. Vemos que a qualidade diferenciada da região também é um atrativo, mas ainda assim preços tem sido reduzidos na última semana. Segundo entrevistado, últimos negócios saíram a R$ 830-880/ton e que nesta semana compradores barganham R$ 810/ton, porém ainda sem negócios concretizados.

Trigo gaúcho parece ser uma sombra aos vendedores paranaenses neste momento, porém considerando o intervalo de preços coletado ontem (R$ 650-670/ton no RS + ICMS) a paridade estaria em R$ 810-850/ton nas diferentes regiões do Estado. Sem falar na pressão de competição para exportação no Rio Grande do Sul caso o dólar siga valorizado.

Temos hoje (06) a realização de uma licitação de compra de trigo pelo Egito, cujo resultado comentaremos na sessão Trigo EUA (a ser publicada a noite). Esta compra nos dará uma importante sensação dos preços internacionais do trigo no Mar Negro neste momento, um importante balizador dos preços de exportação do trigo brasileiro.

Fonte: AF News Análises – 07/11/2013

Título da Postagem: Trigo: E o cereal do Paraná, quanto está custando aos moinhos?

imprensa@faep.com.br