Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 11/12/2012 - 12h00
Postado em Notícias

11/12/2012 12h00 - Postado em Notícias

Sobras rendem R$ 62 milhões a sócios da Coamo

Valor 15% maior que o de 2011 refere-se à primeira parcela dos lucros anuais que serão divididos entre os cooperados

O valor da sobra foi interessante levando em consideração que tivemos um ano totalmente irregular, com seca na safra de soja e quebras na Argentina e nos Estados Unidos. José Aroldo Gallassini, presidente da Coamo O valor da sobra foi interessante levando em consideração que tivemos um ano totalmente irregular, com seca na safra de soja e quebras na Argentina e nos Estados Unidos. José Aroldo Gallassini, presidente da Coamo

Como é tradição nas últimas duas décadas, os 25 mil associados da cooperativa Coamo, com sede em Campo Mourão (Centro-Oeste do Paraná), receberão um benefício extra de final de ano. Amanhã, a empresa realiza a distribuição de R$ 62 milhões referentes à primeira parcela da sobra do exercício de 2012. O valor é 15% maior em relação ao volume distribuído no ano passado: R$ 54 milhões.

O valor da sobra foi interessante levando em consideração que tivemos um ano totalmente irregular, com seca na safra de soja e quebras na Argentina e nos Estados Unidos, ressalta o presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini. O montante representa cerca de 30% do total a ser repassado aos cooperados. A outra parcela será distribuída na Assembleia Geral, em fevereiro.

A sobra é dividida entre todo o quadro social da cooperativa nos estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. O cálculo de quanto cada associado recebe leva em consideração sua participação durante o ano de 2012 na fixação dos produtos soja, milho e trigo e também na compra de insumos. Nos grãos, conta o número de sacas que o cooperado entregou durante o ano e, nas máquinas e insumos, o percentual de compra, explica Gallassini.

O executivo ressalta que o 13.º salário do produtor rural?, apelido dado pelos próprios cooperados, é um diferencial da empresa de Campo Mourão. Além do valor de mercado, ele tem um complemento para engordar o Natal ou passar as férias de verão, assinalou.

Em relação a 2013, Gallassifi diz que é impossível estimar um valor das sobras. Porém, ressalta que o objetivo é sempre aumentar o montante. A projeção de produção da Coamo é de 7 milhões de toneladas na safra 2012/13, diante das 5,7 milhões de toneladas colhidas na temporada passada. A empresa estimou faturamento de R$ 6,7 bilhões para 2012.

Gazeta do Povo Online – Curitiba/PR 

imprensa@faep.com.br