Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 12/05/2015 - 17h22
Postado em Milho

12/05/2015 17h22 - Postado em Milho

São precisos R$ 58,5 milhões para o seguro do milho da segunda safra

Nesta quarta-feira (13), em Brasília, o  Comitê Gestor Interministerial do Seguro Rural (CGSR) se reunirá para estabelecer as regras e valores de apoio ao seguro do milho da segunda safra, plantado entre janeiro e abril de 2015.

Segundo informações de mercado, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA)  destinará apenas R$ 20 milhões para essa cultura no Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural.

No entanto, a demanda de apólices contratadas em São Paulo, Mato Grosso do Sul e Paraná foi de R$ 58,5 milhões, para atender em torno de 5 mil produtores. O milho é  considerando o seguro agrícola com maior custo no Brasil, pois a cultura tem alto risco de produção, sendo suscetível aos problemas climáticos como as geadas.

Caso não se reverta essa decisão do MAPA no Comitê, a medida vai gerar R$ 38,5 milhões em prejuízos financeiros aos agricultores, que serão cobrados pelas companhias seguradoras para quitarem a parte da taxa prêmio que deveria ter sido arcada pelo governo federal.

Embora o orçamento de 2015 do programa tenha R$ 668 milhões, dos quais R$ 390 milhões estão comprometidos com a safra de verão do ano passado e o trigo desse ano, sobrariam ainda R$ 278 milhões para as demais culturas, não havendo razão para reduzir os recursos do milho safrinha plantado em 2015.

Diante disso, o presidente da FAEP, Ágide Meneguette encaminhou ofício ao Instituto Pensar Agro (IPA), à Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) e à bancada do Paraná no Congresso Nacional. No documento é solicitado ações junto  ao MAPA para aprovação de recursos da ordem de R$ 58,5 milhões para o seguro do milho da segunda safra, “evitando que os produtores arquem injustamente com este valor junto às seguradoras”.

 

 

 

Título da Postagem: São precisos R$ 58,5 milhões para o seguro do milho da segunda safra

imprensa@faep.com.br