Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 26/06/2012 - 12h00
Postado em Notícias

26/06/2012 12h00 - Postado em Notícias

Redução nos preços das commodities vai afetar saldo da balança comercial

 Os sinais da desaceleração dos preços das commodities, principalmente das não agrícolas, aparecem na balança comercial deste mês. As receitas das dez principais matérias-primas que o Brasil exporta devem atingir US$ 11,4 bilhões no mês. Se confirmado, esse valor mostra queda de 20% ante 2011. Os dados de exportação do mês -até a semana passada- […]

 Os sinais da desaceleração dos preços das commodities, principalmente das não agrícolas, aparecem na balança comercial deste mês.

As receitas das dez principais matérias-primas que o Brasil exporta devem atingir US$ 11,4 bilhões no mês. Se confirmado, esse valor mostra queda de 20% ante 2011.

Os dados de exportação do mês -até a semana passada- indicam que à exceção da soja, que tem preços melhores e volume maior de vendas, os demais itens da balança caem.

Na área agrícola, o destaque fica para o açúcar, que está com queda de 44%. As perspectivas de recomposição dos estoques mundiais derrubou os preços internacionais, afetando o Brasil, o maior exportador mundial.

Café e suco de laranja vêm a seguir, ambos com quedas de cerca de 30% neste mês em relação a igual período anterior. As receitas com café ficam abaixo de US$ 500 milhões, enquanto as com suco podem não atingir US$ 150 milhões no mês.

Minério e petróleo, dois dos principais itens da balança, têm forte queda no mês. Segundo a Secex, as receitas com minério, devido à queda de preços e menor volume exportado, recuam 28% no mês, abaixo da queda de 34% registrada nas vendas de petróleo e derivados.

Importações A média diária de importações deste mês está 3,2% acima da de junho do ano passado. Entre as altas destaca-se a de adubos e fertilizantes, com 18,5%.

Leite Os dados são da Secex (Secretaria de Comércio Exterior), que registrou quedas de 4% nas compras de leite e de 19% nas de cereais e produtos de moagem.

Chuva O clima chuvoso da semana passada no Paraná inviabilizou a colheita e a secagem de café, segundo Marcos Antonio dos Santos, da Somar Meteorologia. Nesta semana não chove.

Cana A chuva atrapalhou também a produção de cana-de-açúcar. Para esta semana, as condições climáticas melhoram, segundo ele.

Agricultura familiar Para elevar a produtividade leiteira dos rebanhos de pequenos produtores, várias empresas criaram a Genpec Planejamento e Biotecnologia Animal.

Assistência O produtor terá consultoria e assistência em financiamento do Pronaf. Participam da empresa a Bioembryo, Agriplan, Bovigênese e Itagen.

Seca eleva preços no mercado externo

A agricultura é clima. Na safra 2011/12, uma forte seca prejudicou as safras de soja e de milho na América do Sul. Agora é a vez do Meio-Oeste norte-americano, onde o clima seco vem afetando as lavouras de milho e de soja, conforme acompanhamento do Usda (Departamento de Agricultura dos EUA).

Esse clima adverso, que ainda deve perdurar até o final do mês, levou bancos e consultorias a rever projeções e a indicar novas altas nos preços das commodities agrícolas, contrariando estimativas anteriores.

Os reflexos desse clima seco nos EUA foi sentido pelo mercado de Chicago ontem, onde o trigo subiu 7,6% e o milho, 6,8%.

A soja teve alta de 2,8%, com o primeiro contrato sendo negociado a US$ 14,83 por bushel. Já o café, devido às chuvas no Brasil, subiu 2,3% em Nova York. 
 

Fonte:  Folha de S. Paulo – São Paulo/SP

imprensa@faep.com.br