Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 02/08/2013 - 12h00
Postado em Notícias

02/08/2013 12h00 - Postado em Notícias

Recuperação da oferta global de grãos continua inabalável

O Conselho Internacional de Grãos (IGC, na sigla em inglês) reduziu sua projeção para os estoques mundiais de cereais e oleaginosas ao fim da safra 2013/14, mas manteve a perspectiva de recuperação da oferta em relação à temporada anterior. Em relatório divulgado ontem, o IGC, que tem sede em Londres, projetou a produção mundial de […]

O Conselho Internacional de Grãos (IGC, na sigla em inglês) reduziu sua projeção para os estoques mundiais de cereais e oleaginosas ao fim da safra 2013/14, mas manteve a perspectiva de recuperação da oferta em relação à temporada anterior.

Em relatório divulgado ontem, o IGC, que tem sede em Londres, projetou a produção mundial de trigo e grãos forrageiros, grupo que inclui o milho, em 1,92 bilhão de toneladas – praticamente estável em relação à estimativa anterior, de 1,91 bilhão.

No entanto, a previsão para os estoques de passagem desses produtos foi reduzida em 4 milhões de toneladas, para 362 milhões, reflexo de um aumento semelhante no consumo, projetado em 1,887 bilhão de toneladas.

Em relação ao ano passado, no entanto, a produção mundial de trigo e grãos forrageiros deve aumentar em 134 milhões de toneladas, ou 7,5%, e os estoques, em 33 milhões de toneladas, ou 10%.

Os estoques de passagem dos países exportadores devem crescer quase 40%, para 127 milhões de toneladas, depois de cair para o menor patamar em 17 anos na temporada 2012/13. Em grande parte, o aumento reflete a recuperação das safras de milho e soja dos EUA, duramente castigadas pela seca no ano passado.

De acordo com as informações do IGC, a produção mundial de milho deverá somar 942 milhões de toneladas, 4 milhões a menos do que o estimado em junho. Ainda assim, trata-se de um aumento de 83 milhões ou 9,6% em relação à safra passada. Além dos EUA, China e Ucrânia devem registrar colheitas recorde de milho no ciclo 2013/14.

A estimativa para os estoques mundiais de passagem de milho foi reduzida em 1 milhão de toneladas, a 148 milhões – ainda assim, 28 milhões ou 23% a mais do que em 2012/13. Nos quatro maiores países exportadores, esses estoques devem aumentar para 59 milhões de toneladas, maior patamar em nove anos.

O IGC afirmou, ainda, que o comércio mundial de milho deve ser o maior em seis anos, puxado pelo aumento das importações chinesas, mas que dificilmente vai retomar os níveis de 2007/08.

No caso da soja, a instituição elevou em 1 milhão de toneladas, para 285 milhões, sua estimativa para a produção mundial em 2013/14, um incremento de 17 milhões de toneladas, ou 6,3%, ante 2012/13. Os estoques de passagem foram projetados em 34 milhões de toneladas, 1 milhão a mais do que na estimativa de junho. Em relação à safra passada, trata-se de um aumento de 8 milhões de toneladas ou 30%.

Fonte: Valor Econômico – 02/08/2013

imprensa@faep.com.br