Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 16/08/2013 - 12h00
Postado em Notícias

16/08/2013 12h00 - Postado em Notícias

Quatro Pontes, um sotaque alemão

Todos os dias, pontualmente às 6h10, o cenário pacato da pequena Quatro Pontes, no oeste paranaense, é quebrado pelo badalar do sino com exatos 499 quilos plantado na torre da igreja dedicada à N. Senhora da Glória. O sino é movimentado pelo aposentado Claudino Tomás, 73 anos, e acorda os 3.800 habitantes, numa rotina que […]

Todos os dias, pontualmente às 6h10, o cenário pacato da pequena Quatro Pontes, no oeste paranaense, é quebrado pelo badalar do sino com exatos 499 quilos plantado na torre da igreja dedicada à N. Senhora da Glória. O sino é movimentado pelo aposentado Claudino Tomás, 73 anos, e acorda os 3.800 habitantes, numa rotina que se repete também às 12 e às 18 horas, alertando sobre o encerramento do expediente.  "Seu Claudino", como é conhecido, só altera esse ritual quando se vê obrigado a alterar o número de badaladas anunciando o falecimento de algum morador. Nesse caso o número de badaladas é idêntico à idade do falecido.

A tranquilidade de seus moradores, além do tocar diário do sino, foi alterada no início de agosto, quando alvoroçados jornalistas de emissoras de TV movimentaram a cidade.  Foram constatar porque, afinal, Quatro Pontes, é a terceira cidade com o maior Desenvolvimento Humano do Paraná, apresentando um índice (IDH) de 0,791. Apenas Curitiba (O,823) e Maringá (0,808) a superam no Atlas 2013 divulgado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNDU), que mediu  a longevidade, educação e renda dos 5.564  municípios brasileiros.  Quanto mais próximo de zero o índice, pior o desenvolvimento humano e quanto mais próximo de um, melhor.

Estilo germânico

Ruas asfaltadas, limpas, arborizadas, a maioria das casas sem grades ou muros, prédios públicos e estabelecimentos com arquitetura da cultura germânica – estilo enxaimel, demonstram as raízes da maioria da população de Quatro Pontes. O alemão continua sendo uma espécie de segundo idioma de boa parte da população, da mesma forma a música e a dança dos pioneiros são cultivadas principalmente na Casa da Cultura da cidade.

São acentuados os cuidados com a limpeza e preservação da cidade que se estendem pela coleta de lixo orgânico três vezes por semana, coleta seletiva de lixo dos consultórios odontológicos, clínicas, farmácias e o centro de saúde.

Duas escolas, uma municipal com educação infantil ao 5º ano do Ensino Fundamental, e outra estadual do 6º ao 9º ano (EF) ao 2º grau, atendem a cerca de 800 alunos e, segundo a chefe do Departamento de Educação, Ruth dos Reis, não faltam vagas, nem na creche. O município está se estruturando para implantar o ensino integral e para isso estão sendo construídas mais cinco salas de aula.

As escolas têm espaços modernos; todos os professores possuem o 3º grau completo; oferecem materiais didáticos entre livros e apostilas; as salas são climatizadas e as escolas possuem laboratórios de informática. Além das aulas regulares há aulas de inglês e alemão. A prefeitura garante o acesso com bolsa de estudos e transporte para um grupo de 30 alunos cursarem o ensino técnico regular no Senai, em Marechal Cândido Rondon.

A matéria completa você confere no BI desta semana, basta clicar aqui

imprensa@faep.com.br