Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 10/10/2014 - 11h08
Postado em Feijão

10/10/2014 11h08 - Postado em Feijão

Preço baixo reduz ânimo do produtor e áreas de plantio do feijão no PR

A estimativa para a safra das águas é que a área de plantio diminua em 14% no Paraná, de 238 mil hectares para 203 mil

Em algumas propriedades de Castro, região centro-sul do Paraná, a terra já está sendo preparada para o plantio, mas nos barracões ainda tem feijão estocado da safra passada. Só não tem quem pague o valor que os produtores querem.

“Eu, particularmente tenho 3 mil sacos, 180 toneladas de feijão, saldo da safra passada. Está tudo aí, a mercê do mercado. Vamos aguardar um pouco, vamos ver se reage”, diz o agricultor Albert Barkema.

De janeiro até agora, foram colhidas 402 mil toneladas de feijão no Paraná, 20% a mais que no ano passado. Em uma cerealista não há mais lugar para guardar a produção.

A maioria dos agricultores diz que o valor pago pela saca de 60 quilos hoje, não cobre nem os custos de produção e o prejuízo desse ano, fez com que muitos produtores rurais repensassem a atividade.

A estimativa para a safra das águas é que a área de plantio diminua em 14% no Paraná, de 238 mil hectares para 203 mil.

A supersafra fez os preços caírem. Os produtores estão recebendo R$ 40, R$ 50 pela saca, valor 60% menor que no mesmo período do ano passado.

O que mais preocupa o produtor é o feijão de cor, o feijão carioca, porque os estoques estão altíssimos. O cerealista Jhonatan Pontarollo fala sobre as medidas de socorro e o que os produtores devem fazer com esse estoque todo.

Fonte: G1 – 10/10/2014

Título da Postagem: Preço baixo reduz ânimo do produtor e áreas de plantio do feijão no PR

imprensa@faep.com.br