Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 03/05/2013 - 12h00
Postado em Notícias

03/05/2013 12h00 - Postado em Notícias

Plano Safra terá linha de crédito para armazenagem

As filas quilométricas de caminhões carregados de grãos parados nas estradas devido à falta de infraestrutura fizeram o governo se mexer para evitar novos problemas no ano que vem. Para acabar com os engarrafamentos após a colheita, o Ministério da Agricultura decidiu criar uma linha de financiamento para estocagem na safra 2013/14, que será anunciada […]

As filas quilométricas de caminhões carregados de grãos parados nas estradas devido à falta de infraestrutura fizeram o governo se mexer para evitar novos problemas no ano que vem. Para acabar com os engarrafamentos após a colheita, o Ministério da Agricultura decidiu criar uma linha de financiamento para estocagem na safra 2013/14, que será anunciada no Plano Safra, no fim de maio ou início de junho.

O Ministério da Fazenda ainda não definiu se será criada uma nova linha ou se a opção de contratação será incluída em uma já existente. A linha para construção de armazéns vai trazer juros compatíveis com o do Programa de Sustentação do Investimento (PSI), que é de 3,5% no segundo semestre deste ano. No caso de cooperativas, o juro será o mesmo, mas com limite de contratação maior.

O valor limite de contratação maior para cooperativas vai permitir quer os pequenos produtores estoquem seus produtos enquanto esperam preços melhores para a venda. O principal benefício logístico de silos compartilhados será a construção das estruturas em locais estratégicos, com boa infraestrutura.

"De nada adianta vários produtores construírem seu próprio armazém se ele fica longe do asfalto e é difícil retirar a produção de lá. Armazéns centralizados, com bom acesso logístico, fazem mais sentido", disse uma fonte envolvida na elaboração da medida.

Além da armazenagem, outro destaque do plano deve ser a redução das taxas de juro dos financiamentos, que hoje estão em 5,5%. A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) encaminhou uma proposta de 4,75%, valor considerado muito baixo pela Fazenda. Hoje, trabalha contra a redução a alta da inflação e a perspectiva de aumento da taxa Selic.

O Ministério da Fazenda está calculando qual o impacto de uma eventual redução das taxas pode trazer ao Tesouro. "Os dados serão apresentados à presidente Dilma Rousseff, que dará a palavra final", afirmou uma fonte que participa da elaboração do Plano Safra.

Além disso, o anúncio do plano safra trará o detalhamento da Assistência Técnica de Extensão Rural (Ater), anunciada pela presidente Dilma Rousseff no lançamento do plano safra 2012/13 em junho de 2012. A agência terá uma estrutura enxuta. Ela fará a gestão das empresas que contratarão profissionais para prestar serviço de assistência técnica nas propriedades.

Valor Online

imprensa@faep.com.br