Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 23/10/2013 - 12h00
Postado em Pecuária de Corte

23/10/2013 12h00 - Postado em Pecuária de Corte

Paraná mobiliza entidades para retomar exportação de carnes para a Rússia

O Paraná se mobiliza para recuperar o mercado de carnes bovina, suína e de frango da Rússia, hoje com restrições por conta de um embargo imposto em função de normas sanitárias. Na segunda-feira (21/10), a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) reuniu as principais entidades exportadoras de carnes do Estado em um seminário que […]

O Paraná se mobiliza para recuperar o mercado de carnes bovina, suína e de frango da Rússia, hoje com restrições por conta de um embargo imposto em função de normas sanitárias. Na segunda-feira (21/10), a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) reuniu as principais entidades exportadoras de carnes do Estado em um seminário que discutiu as estratégias e as potencialidades para dinamizar as exportações de carnes do Paraná.

O diretor-presidente da Adapar, Inácio Afonso Kroetz, explica que a realização do evento é mais uma demonstração de que o Estado está em busca de soluções para reconquistar o mercado da União Aduaneira, representado pela Rússia, Bielorússia e Casaquistão, considerado valioso pelas entidades exportadoras.

O seminário antecede a visita que os integrantes do Serviço de Fiscalização Veterinária e Fitossanitária da Federação da Rússia farão ao Brasil em novembro. Até lá, a Adapar quer listar, a partir de informações prestadas pelas associações de classe, as empresas interessadas em exportar para o mercado russo para que elas se adequem o quanto antes, de acordo com as restrições sanitárias impostas pela União Aduaneira.

Kroetz enfatizou que o Paraná tem produção e qualidade e que o mercado da Rússia é importante para as três carnes. Por isso, o Governo do Estado promove discussões sobre estratégias que devem ser adotadas pelos exportadores.

Um documento resultante desse seminário será enviado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento como contribuição do Governo do Paraná para o pleno acesso ao mercado da União Aduaneira.

O Paraná vem sofrendo embargo por parte dos países da União Aduaneira desde 2005, quando ocorreu a suspeita de febre aftosa. Em 2011, houve embargo dos estados do Paraná, Mato Grosso e Rio Grande do Sul, com alegação de não conformidades na Inspeção Federal.

As negociações para a retomada do mercado russo foram intensificadas a partir da viagem do governador Beto Richa à Rússia, no final de 2012. No mês passado, o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, o diretor presidente da Agência de Defesa Agropecuária (Adapar) Inácio Afonso Kroetz e o representante da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), Ronei Volpi, se reuniram com autoridades sanitárias russas.

FRIGORÍFICOS – Na ocasião, técnicos russos apontaram as restrições de ordem sanitária encontradas em recentes missões da União Aduaneira ao Brasil, mas também sinalizaram a possibilidade de visitarem as plantas frigoríficas do Paraná que têm interesse me exportar para aquele mercado. Para isso, o Estado deveria apresentar formalmente uma relação dessas plantas.

Uma das principais divergências entre Brasil e Rússia está relacionada ao uso do aditivo alimentar ractopamina na produção de suínos e bovinos. “Começamos a fazer o contato com as entidades de classe para levantar essas informações”, destacou Kroetz.

Para o secretário Norberto Ortigara, a exportação de carnes tem um peso importante para a economia do Estado, em função da dinamização da cadeia produtiva com a geração de divisas e empregos. “Nosso lema é voltar a acessar quaisquer mercados, sem restrições. E para isso queremos resolver as não conformidades ainda pendentes”, afirmou.

Segundo Ortigara, compete ao poder público zelar pela sanidade, mas é preciso que haja também o envolvimento dos empresários para construir o caminho para o retorno das exportações.

De janeiro a setembro de 2013, o Paraná exportou 16,2 toneladas de carne bovina, 30,4 toneladas de carne suína e 94,1 toneladas de carne de frango. O presidente do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Paraná (Sindiavipar), Domingos Martins, lamentou que somente duas cooperativas do Paraná estão exportando carne de frango para a Rússia, quando as 42 plantas que operam no Estado estão habilitadas a exportar para outros mercados.

Participaram do seminário as lideranças de entidades como Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo), Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Paraná (Sindiavipar), Sindicato da Indústria da Carne do Paraná (Sindicarnes), Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frangos (Ubabef), Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipecs), Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec), Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep) e Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar).

Fonte: AE Notícias

Título da Postagem: Paraná mobiliza entidades para retomar exportação de carnes para a Rússia

imprensa@faep.com.br