Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 05/12/2014 - 16h39
Postado em Programa Empreendedor Rural

05/12/2014 16h39 - Postado em Programa Empreendedor Rural

Os grandes vencedores

Letícia Jedenoralski, de Campina do Simão na região Centro-Oeste do Paraná, conquistou o primeiro lugar com o projeto “Reforma e divisão de pastagem”

A emoção tomou conta do auditório durante a premiação dos três vencedores do Programa Empreendedor Rural (PER) 2014. Entre os 10 finalistas, Letícia Jedenoralski, de Campina do Simão (4.113 habitantes, IBGE 2010), na região Centro-Oeste do Paraná, conquistou o primeiro lugar com o projeto “Reforma e divisão de pastagem” e vai levar para casa uma viagem internacional. “Eu não via a propriedade como uma atividade rentável, mas com o PER comecei a analisar as entradas e saídas, a colocar tudo no papel. Passei a ter um novo olhar sob a propriedade”, conta Letícia, 19 anos.

No Sítio São Pedro, de 51,5 hectares, os pais João Pedro e Terezinha e o irmão Leandro, 15 anos, cultivam soja e milho e produzem leite. Pelo projeto, Letícia tem como objetivo melhorar a produtividade e a qualidade da produção leiteira com a divisão das pastagens permanentes com piquetes. A jovem revela que, junto com o pai, já está colocando as ideias na prática. “Começamos a instalar os piquetes e no ano que vem vamos implantar 4,84 hectares de pastagem com o capim Tifton”.

Em segundo lugar, o engenheiro-agrônomo Marcio Ito, 41 anos, de Uraí (11.000 habitantes, IBGE 2010) no norte paranaense também ganhou uma viagem internacional. “Embora eu seja agrônomo, o PER despertou a minha visão empresarial sobre a propriedade. O curso estimula a criatividade, além de mostrar novas oportunidades de mercado”, avalia. Com o projeto “Cultivo de pereira japonesa (Pyrus pirifolia) em ambiente irrigado e protegido com tela de polietileno”, a meta de Marcio é aumentar a renda com o cultivo da fruta no Sítio Ito, a cinco quilômetros de Uraí.

Em uma área de 24,2 hectares, ele cultiva soja, milho, uva, pera, abacate e limão. Ao constatar que a produção de uvas finas, antes a principal fonte de receita propriedade, tornou-se uma atividade pouco remunerada devido a grande exigência de mão de obra e de insumos e também pela forte concorrência existente dentro e fora do município, optou-se por mudar o foco da atividade. A sua ideia é colocar o projeto em prática no ano que vem.

Com o projeto “Reforma de pastagem e construção de confinamento”, o terceiro lugar ficou para Rosecleia Seguro, 48 anos, de Guarapuava (142.163 habitantes IBGE 2010). Na Fazenda Laranjinha, em Laranjeiras do Sul, região Centro-Sul do Estado, ela engorda 400 bovinos no sistema de semi-confinamento em 144 hectares. A sua ideia é aumentar o rendimento na atividade e durante o curso elaborou estratégias para atingir a sua meta. Entre elas, reformar as pastagens e dividi-la em piquetes, além da construção de confinamento para reduzir o tempo de engorda dos animais antes do abate. Rosecleia já começou a reformar a pastagem numa área de 60 hectares. “O curso foi fantástico, com excelentes dinâmicas. Eu passei a enxergar a minha propriedade de uma forma diferente. Antes disso, não tinha ideia do valor da minha área, quanto custava para fazer uma cerca, por exemplo”. Assim como os primeiros colocados, ela também levou para casa uma viagem internacional.

Título da Postagem: Os grandes vencedores

imprensa@faep.com.br