Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 28/03/2014 - 11h10
Postado em Agronegócios, Grãos, Sanidade, Soja

28/03/2014 11h10 - Postado em Agronegócios, Grãos, Sanidade, Soja

Os benefícios da classificação das sementes na produção de grãos

A classificação de grãos garante economia ao produtor rural

sojaNa reta final da colheita de soja, o produtor deve ficar de olho na hora de fazer a triagem dos grãos na lavoura. É a classificação que determina o que ele está ganhando ou perdendo porteira a dentro. “A seleção dos grãos permite que o produtor saiba a quantidade de matéria estranha, impurezas, entre outros fatores. A classificação está envolvida em todas as frentes, seja para a produção, exportação, importação e o consumidor”, explica a engenheira-agrônoma Ivonete Teixeira Rasêra, instrutora do SENAR-PR. Pela seleção dos grãos, o produtor pode verificar, por exemplo, como está a regulagem da colhedeira ou até mesmo identificar o ataque de pragas, como o percevejo e até mesmo a temida Helicoverpa armígera. 

A classificação garante economia ao produtor rural. “Depois de colhida, a soja é pré-classificada nas cooperativas ou cerealistas e quando o grão está úmido, com matérias estranhas e impurezas, por exemplo, normalmente as empresas aplicam um desconto no valor da saca. Essas companhias também diminuem no valor pago pela saca quando os grãos apresentam defeitos (esverdeados, imaturos, germinados, partidos e quebrados)”, complementa.

Como é feita a classificação?

Numa amostra de 125 gramas de soja, quantidade mínima determinada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), os grãos são analisados com o auxílio de uma luminária, pinça e cortador. Pela classificação vários aspectos podem ser avaliados, como os defeitos graves, leves, manchas, doenças, umidade, substâncias nocivas à saúde, entre outros. Ivonete conta que há duas categorias na hora de classificar: defeitos graves e leves. Na primeira estão os grãos queimados, ardidos e mofados e podem comprometer a produção. No primeiro caso, geralmente, há uma falta de controle no processo de secagem.
Segundo a instrutora, o grão imaturo (de cor verde e com aspecto enrugado) é o defeito que ocorre com maior frequência. A deformidade é provocada pela estiagem. Em relação ao ataque de percevejos, por exemplo, o grão apresenta manchas. Entre um defeito e outro, quando o grão apresenta a coloração verde intenso é sinal é de que foi colhido antes da maturação.
Assim como há uma regra de classificação para a soja, há para outras culturas como o feijão, milho, trigo e sorgo.Leia a matéria completa na última edição do Boletim Informativo da FAEP clicando aqui

Título da Postagem: Os benefícios da classificação das sementes na produção de grãos

imprensa@faep.com.br