Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 16/10/2013 - 12h00
Postado em Agronegócios

16/10/2013 12h00 - Postado em Agronegócios

Oeste paranaense busca no País Basco apoio para se desenvolver

Organizações empresariais do Oeste do Paraná buscam no País Basco, na Espanha, apoio para incrementar a economia da região dentro de um modelo de desenvolvimento econômico local. Algumas parcerias entre as duas regiões já estão em curso e deverão ganhar novo impulso após a assinatura de um acordo entre a Itaipu, Fundação Parque Tecnológico Itaipu […]

Organizações empresariais do Oeste do Paraná buscam no País Basco, na Espanha, apoio para incrementar a economia da região dentro de um modelo de desenvolvimento econômico local.

Algumas parcerias entre as duas regiões já estão em curso e deverão ganhar novo impulso após a assinatura de um acordo entre a Itaipu, Fundação Parque Tecnológico Itaipu e a Associação Basca de Agências de Desenvolvimento (Garapen), durante o  fórum mundial que será realizado em Foz do Iguaçu entre os dias 29 de outubro e 1º de novembro.

A aproximação começou no início deste ano, quando uma comitiva de prefeitos que integram a Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (Amop), e representantes do Sebrae e da Caciopar viajou à Espanha.

Um dos resultados práticos desse intercâmbio está em Terra Roxa, município de 17 mil habitantes. Apesar de a agropecuária ser a principal fonte de receitas, é na confecção de roupas de bebê que está o forte da geração de empregos. Ao todo, são 40 empresas que empregam aproximadamente 3.500 pessoas e têm seus produtos comercializados em todo o Brasil.

“Somos a capital brasileira das roupas de bebê, proclama o prefeito Ivan Reis da Silva. “Mas, não temos uma cultura de exportação”, pondera.

Por meio de uma aproximação facilitada pela Garapen, Terra Roxa receberá a partir de novembro um consultor do País Basco que auxiliará na internacionalização dessas empresas. A ideia é usar a região espanhola como porta de entrada para o mercado europeu.

“Organizamos um APL (arranjo produtivo local), com o objetivo principal de ajudar na formação e qualificação dos empresários e funcionários do segmento de roupas para bebê, e assim gerar emprego e renda”, completa Silva.

O País Basco é uma das regiões mais ricas da Espanha e também da Europa. Seu PIB por habitante (31.288 euros) é 34% superior ao espanhol e supera também a média dos 27 países da UE, que é de 25.134 euros (Dados de 2011 do Instituto Nacional de Estatística da Espanha).

Grande parte da riqueza atual se deve a um processo de reindustrialização que se deu durante a década de 1980. A comunidade autônoma conta, por exemplo, com a maior cooperativa do mundo, a Cooperativa Industrial Mondragon, além de negócios de alta tecnologia e energia.

“No País Basco, pudemos perceber que eles focam na geração de emprego, procurando investir na vocação da região. E todos – governo, empresas e universidades – trabalham em conjunto pra isso. Eles não saem dando tiro para tudo que é lado”, resume o prefeito José Carlos Mariussi, de Tupãssi, que também é presidente da Amop e integrou a missão à região espanhola.

A ideia com essa aproximação com o País Basco é incrementar o desenvolvimento do Oeste Paranaense, uma região fortemente dependente da agropecuária. Segundo dados do Departamento de Economia Rural (Deral), a Oeste é a primeira entre as 10 regiões do Paraná em termos de participação no valor bruto nominal da produção agropecuária estadual. Equivale a quase 20% dos R$ 53,9 bilhões registrados pelo setor em 2012.

Iguassu Gourmet

Embora represente muito em termos de geração de riqueza e de receitas para os municípios, a progressiva mecanização da agropecuária demanda estratégias de desenvolvimento local com foco na geração de emprego, como a que Terra Roxa está pondo em prática. Nesse sentido, outra iniciativa que resulta dessa aproximação com o País Basco é o projeto Iguassu Gourmet, encomendado à Garapen pela Caciopar.

Inspirado em um projeto semelhante na comunidade autônoma da Espanha, denominado Tolosa Gourmet, o Iguassu Gourmet tira proveito da vocação local de produção de alimentos, porém, integrando a cadeia da agroindústria, desde o pequeno produtor, ao turismo gastronômico. A iniciativa também inclui um processo de certificação de origem.

Para coordenar essas e outras iniciativas em parceria com o País Basco, a Garapen está abrindo uma representação na América do Sul. A sede será no Parque Tecnológico Itaipu (PTI). Para isso, Itaipu, Fundação PTI e Garapen firmarão um convênio de cinco anos.

“Esta é a primeira experiência de internacionalização da Garapen. Além dos projetos Iguassu Gourmet e de Terra Roxa, outras duas iniciativas estão em preparação”, comenta Mercedes Belloso, representante da Garapen para a América do Sul.

O acordo será assinado durante o 2º Fórum Mundial de Desenvolvimento Econômico Local, em Foz. O evento já tem confirmada a participação de 46 países e a delegação do País Basco está entre as mais expressivas.

Portal Medianeira

Título da Postagem: Oeste paranaense busca no País Basco apoio para se desenvolver

imprensa@faep.com.br