Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 08/05/2015 - 12h18
Postado em Milho, Soja, Trigo

08/05/2015 12h18 - Postado em Milho, Soja, Trigo

Informe – SOJA, MILHO E TRIGO – 08/05/2015

Leia a análise econômica da movimentação das principais commodities agrícolas

Por: Tânia Moreira, economista do Departamento Técnico e Econômico da FAEP.

SOJA EM BAIXA COM PLANTIO AMERICANO

tab1

Apesar de números positivos em relação as exportações semanais americanas, os contratos futuros da soja na Bolsa de Chicago na data de ontem voltaram a registrar perdas. O contrato de julho caiu 0,76% fechando no valor de US$ 9,75/bushel.

Com um câmbio menor a cotação CIF no porto de Paranaguá também registrou perda, fechando em R$ 67,00 por saca (-2,2%).
No mercado interno o preço médio recebido pelo produtor registrou queda de 1,1% no valor de R$ 58,69 por saca, segundo dados da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (SEAB).

Perspectivas climáticas positivas para as próximas semanas favorecendo o plantio de soja e milho pressionaram as cotações na data de ontem. Além disso, a fraqueza do preço do petróleo não contribuiu para o suporte às cotações.

O dado das exportações americanas e um dólar mais fraco limitaram as perdas na CBOT. O dólar caiu frente ao real refletindo o anúncio do Comitê de Política Monetária (Copom) de dar continuidade a alta da taxa de juros brasileira visando garantir a meta de inflação, que os analistas acreditam ocorrer apenas no final de 2016.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou ontem as exportações semanais de soja encerradas em 30 de abril, relatando uma queda de 22% em relação à semana anterior, apesar de um aumento de 4% em relação à média das últimas quatro semanas. No acumulado, os números surpreenderam, com o total comprometido da safra velha em 49,4 milhões de toneladas, o que é maior que a projeção do USDA de 48,7 milhões de toneladas.

Dados da Bolsa de Cereales da Argentina também contribuem para a pressão nos preços. A colheita atingiu percentual de 68,6% segundo relatório publicado ontem, com previsão de produção de 60 mil toneladas.

Na data de hoje, até às 08:44 o contrato futuro de julho na CBOT operava em queda de 0,08% no valor de US$ 9,74/bushel, com o câmbio em queda de 0,84% cotado a R$ 3,002.

MILHO EM QUEDA COM PLANTIO AMERICANO

tab2

As perspectivas climáticas positivas ao plantio que já avançou 55% nos Estados Unidos contra os 38% da safra passada no mesmo período exerceram pressão sobre os contratos futuros do milho na data de ontem, com dados da exportação americana que não contribuíram muito para altas.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou ontem as exportações semanais de milho encerradas em 30 de abril. As exportações cresceram 1% em relação à semana anterior e 15% acima da média das últimas quatro semanas, sendo relatados 841 mil toneladas, o que foi acima das expectativas do mercado, demonstrando uma melhora nas duas últimas semanas, frente a lentidão anterior.

O total comprometido da safra velha é de 41,1 milhões de toneladas abaixo das 44,1 milhões de toneladas em igual período do ano passado e abaixo das expectativas do USDA de 45,7 milhões de toneladas. Para a safra nova as exportações americanas monstraram uma retração.

No mercado interno os preços médios recebidos pelos produtores recuaram com o menor câmbio. O preço de ontem foi de R$ 19,86 por saca, o que atualmente está abaixo dos R$ 20,36 por saca calculados pela Companhia Nacional do Abastecimento (Conab) para o custo operacional de produção e apenas R$ 1,97 por saca acima do custo variável de produção, calculado com base nos preços de janeiro de 2015.

O mercado segue atento para as informações sobre o clima e próximo relatório do USDA com estimativas para a safra 2015/16.

TRIGO EM QUEDA COM BAIXA DEMANDA

tab3
No caso do trigo, a demanda fraca pelo produto americano voltou a aparecer no relatório de exportações semanais do USDA de ontem, com cancelamento de exportações americanas.

No mercado interno o preço médio recebido pelo produtor manteve-se estável em R$ 35,84 por saca, com a paridade de importação ainda favorecendo o cereal nacional.

Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MIDC) as importações do cereal no acumulado de janeiro a abril de 2015 somaram 1,6 milhão de toneladas contra as 2,0 milhões importadas no ano anterior no mesmo período, sendo originadas em 84% da Argentina.
OUTRAS:
* Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o IPCA do mês de abril foi de 0,71% registrando uma queda em relação ao mês anterior, sendo no acumulado do ano a maior taxa (4,56%) para o quadrimestre desde o ano de 2003.No acumulado de doze meses a taxa é de 8,17%.

* O IBGE destacou a influência da energia elétrica no indíce, relatando que o consumidor está pagando em média 38,12% mais caro pelo uso de energia, considerando este primeiro quadrimeste. Se considerado o acumulado de doze meses o número sobe para 59,93%.

Título da Postagem: Informe – SOJA, MILHO E TRIGO – 08/05/2015

imprensa@faep.com.br