Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 06/10/2015 - 11h56
Postado em Milho, Soja

06/10/2015 11h56 - Postado em Milho, Soja

Informe – SOJA E MILHO – 06/10/2015

Acompanhe a análise econômica da FAEP sobre a movimentações das commodities

Por: Tânia Moreira |Economista do Departamento Téc. e Econômico da FAEP.


SOJA fecha a terça com ganho acima de 1% e abre a quarta positivo

Os futuros da soja encerraram a terça-feira com ganhos, refletindo os dados positivos, acima do esperado pelo mercado, para as inspeções semanais das exportações americanas divulgados ontem pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) o que é positivo para indicar que a demanda segue saudável, apesar do receio sobre a desaceleração chinesa. As inspecções de 1,12 milhão toneladas relatadas, foram maiores que na semana anterior e maiores que em 2014, considerando o mesmo período.

Ainda assim sites americanos apontam que as exportações totais seguem mais lentas que no ano passado. Em setembro de 2014 cerca de 57% do total previsto para exportação já havia sido negociado, segundo os dados do USDA e em 2015 este percentual foi de 44% considerando o mesmo período.

A sustentação dos preços veio também das expectativas em relação ao relatório de oferta e demanda do USDA da próxima sexta-feira, com analistas apontando que apesar das produtividades americanas ter surpreendido até o momento, o que indicaria um aumento de produção, poderia haver também um corte na área plantada.

No mercado interno o preço médio recebido pelo produtor recuou um pouco (-0,53%) em relação ao dia anterior cotado a R$ 70,79 por saca, em função de um câmbio menor (-1,11%). O dólar perdeu valor em relação a uma cesta de moedas reagindo às expectativas de que a taxa de juros americanas não subirá até o começo do ano que vem, após o dado abaixo do esperado para as vagas de emprego nos Estados Unidos no mês de setembro.

Da safra brasileira 2015/16 consultorias estimam que de 38% a 40% já tenha sido comercializada, em relação à média dos anos anterior próxima de 30%. No Paraná, o percentual dos negócios é de 32% em relação a média de 18%, conforme dados da consultoria Safras e Mercados.

Na data de hoje até às 09:44 o futuro de março-2016 era cotado a US$ 8,91 por bushel, estável. O contrato de novembro-2015 era cotado a ↑US$ 8,83 por bushel, com ganho de ↑0,03%. O câmbio perdia ↓0,58% cotado a ↓R$ 3,889.

Veja o fechamento de ontem:

tab1

 

MILHO tem dia positivo na espera do USDA

Os futuros do milho reagiram positivamente na data de ontem na expectativa de que o USDA poderá reduzir a produtividade do milho estimada no último relatório em 167,5 bushels por acre, mostrando também um corte na área colhida.

O USDA divulgou ontem que 68% das lavouras americanas continuam em condições de boas a excelentes, com uma melhora de 1% em excelentes condições. O percentual colhido é de 27% em relação a média de 32% de anos anteriores

As inspeções semanais da exportações ficaram abaixo da semana passada e abaixo do ano passado, contribuindo para o sentimeto de demanda fraca e produto americano sem competitividade.

No mercado interno o preço médio recebido pelo produtor segundo a Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (SEAB) foi de R$ 25,60 por saca, com 50% da área de milho verão já plantada. O percentual comercializado para o miho safrinha até setembro era de 51% em relação a média de 46% das últimas cinco safras segundo a SEAB.

Veja o fechamento de ontem:

tab2
Acesse as análises diárias da commodities no link: http://commodities.sistemafaep.org.br/

Título da Postagem: Informe – SOJA E MILHO – 06/10/2015

imprensa@faep.com.br