Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 05/12/2012 - 12h00
Postado em Notícias

05/12/2012 12h00 - Postado em Notícias

Governo negocia duplicação de todo o Anel de Integração

O governador Beto Richa disse na terça-feira que estão avançadas as conversas com as concessionárias de rodovias do Paraná para a duplicação de todo o Anel de Integração do Estado. Richa afirmou que também está otimista quanto à possibilidade de acordo em torno da redução das tarifas de pedágio. "A tarifa de pedágio é pesada […]

O governador Beto Richa disse na terça-feira que estão avançadas as conversas com as concessionárias de rodovias do Paraná para a duplicação de todo o Anel de Integração do Estado. Richa afirmou que também está otimista quanto à possibilidade de acordo em torno da redução das tarifas de pedágio.

"A tarifa de pedágio é pesada e incompatível com a realidade econômica do Paraná e do Brasil", disse o governador. Ele lembrou que o diálogo com as concessionárias já resultou na retomada de obras.

Entre as intervenções já iniciadas, Richa citou os contornos de Campo Largo e de Mandaguari e a duplicação dos trechos entre Jandaia do Sul e Apucarana e entre Medianeira e Matelândia.

O governador também detalhou o Programa de Modernização da Infraestrutura (Proinfra), que foi anunciado semana passada em Foz do Iguaçu e marca a retomada dos investimentos para melhorar a competitividade do Estado.

Para os próximos dois anos, estão previstos investimentos de R$ 12,5 bilhões em rodovias, portos, energia, saneamento, habitação e construção de escolas, postos de saúde e delegacias.

Segundo Richa, os recursos financeiros para as obras virão exclusivamente do Tesouro do Estado e de empréstimos internacionais. "O Proinfra busca a melhoria e a modernização da infraestrutura, transporte e logística do Paraná. Depois de anos, o Estado agora retoma os investimentos na área", disse Richa.

Os investimentos do Proinfra serão distribuídos nas seguintes áreas: rodovias (R$ 2,547 bilhões), portos (R$ 1,6 bilhão), edificações de escolas e delegacias (R$ 945 milhões), ampliação da oferta de energia (R$ 4,162 bilhões), saneamento (R$ 1,437 bilhão), oferta de gás (R$ 246 milhões), habitação (R$ 492 milhões) e desenvolvimento urbano (R$ 1,080 bilhão).

"É o maior programa de investimento em infraestrutura da história do Estado, suficiente para fazer o Paraná voltar a crescer", disse o governador.

Os empréstimos que o Estado está fazendo para colocar em prática os projetos são: R$ 816 milhões do Banco do Brasil, R$ 157 milhões do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), R$ 735 milhões do Banco Mundial e R$ 600 milhões do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Ferrovia – Beto Richa garantiu investimentos para construção de novos ramais ferroviários e destacou o compromisso de fortalecer a Ferroeste. "Trabalhamos para organizar a empresa, que tinha grandes dívidas e estava praticamente inoperante", afirmou.

Richa disse que o Paraná conseguiu, junto ao governo federal, a construção de um ramal ferroviário ligando Maracajú/Dourados/Guaíra/Cascavel. Permitindo escoar a safra do Mato Grosso e Oeste pelo Porto de Paranaguá.

"A União propôs um traçado diferente, que apenas cortava o Paraná e isolava nosso porto. Lutei energicamente para a mudança, e conseguimos. Teremos agora uma ferrovia que deixará um rastro de desenvolvimento por todo o Paraná", explicou o governador.

Ele também destacou o objetivo de reduzir o custo da produção paranaense com investimentos nos portos de Paranaguá e Antonina. "Retomamos os investimentos nos portos, que nos últimos anos ficaram estagnados, o que resultou na perda de eficiência e de cargas para as unidades catarinenses", disse Richa.

O governador destacou que em 2011 foi quebrado um recorde histórico com o embarque de 41 milhões de toneladas por Paranaguá. "Prova de que o porto esta se modernizando e voltando a ser referência", avaliou. Entre recursos privados e públicos, estão previstos para os próximos anos investimentos de R$ 5 bilhões nos portos.

Agência Estadual de Notícias

imprensa@faep.com.br