Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 26/04/2017 - 10h15
Postado em Clima, Destaques

26/04/2017 10h15 - Postado em Clima, Destaques

Geadas ameaçam lavouras do Paraná

Na região de Pato Branco, que pode ser atingida por geadas entre sexta e sábado, plantações de feijão e de milho estão vulneráveis

A previsão do tempo para o Paraná nos próximos dias deixa os agricultores do estado preocupados. Com uma massa de ar polar de forte intensidade, há possibilidade de formação de geada na região Sudoeste e Centro-Sul, especialmente nas áreas próximas da divisa com Santa Catarina. As informações são do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), que prevê mínimas próximas de 0ºC nessas áreas nas madrugadas de sexta-feira (28) e sábado (30).

O meteorologista Luiz Renato Lazinski explica que essa onda de frio é parecida com a que ocorreu no ano passado, mais ou menos nessa mesma época do ano. “Essa massa de ar frio é muito forte para essa época do ano. Vamos ter temperaturas perto de 0º na divisa com SC, com os dias mais frios nas madrugadas de sexta e de sábado. Nesses dois dias deveremos ter geadas no Sul do estado”, alerta.

Segundo Lazinski, as regiões mais suscetíveis são as que ficam em uma faixa que abrange as cidades de Francisco Beltrão, Pato Branco, Palmas, União da Vitória e Guarapuava. “Não teremos geada nas áreas de milho safrinha mais a oeste, subindo de Cascavel para cima é muito pequena a chance de geada. Nessas áreas deve ocorrer uma queda acentuada na temperatura, mas fica entre 6ºC ou 7ºC”, detalha o meteorologista.

Segundo a previsão até o momento, as temperaturas mínimas para Curitiba e Campos Gerais devem ficar entre 4ºC e 6ºC no fim de semana. A região de Guarapuava tem chance de chegar a 3ºC e a de Palmas terá municípios com temperaturas próximas de 0ºC.

Frio sem inverno rigoroso

A onda de frio precoce não significa necessariamente um anúncio de que o fim do outono e início de inverno será rigoroso. No ano passado, quando o tempo sofreu influência do fenômeno La Niña (resfriamento das águas do Oceano Pacífico), de fraca intensidade, o inverno no Sul do Brasil teve uma certa regularidade de temperaturas baixas. Nesse ano, até o momento são esperadas condições de neutralidade, sem La Niña ou El Niño (fenômeno contrário à La Niña).

Lazinski enfatiza que inverno regular é inverno de altos e baixos para o Sul do Brasil. “Durante o mês de maio vamos ter ondas de frio, mas também vamos ter um período um pouco mais quente. Vai ser um final de outono e início de inverno um pouco diferente do ano passado, quando tivemos o frio começando em maio e seguindo até outubro”, compara.

Áreas suscetíveis

Na região de Pato Branco, o feijão é a cultura que mais tem áreas dedicadas à segunda safra (semeada após a colheita da soja), com cerca de 60 mil hectares. Há uma área considerável com milho safrinha, 30 mil hectares, mas uma boa fatia disso destinada à alimentação animal, em forma de silagem. A região de Francisco Beltrão tem 24 mil hectares de feijão segunda safra e 82 mil hectares de milho. Ali, no entanto, quanto mais a Oeste, menos vulnerabilidade – ou seja, as lavouras dessa área estão menos suscetíveis que as da região de Pato Branco. Nos municípios do Centro-Sul, próximos a Palmas, não há cultura de segunda safra.

Fonte: Gazeta do Povo

Tags:, , ,

Título da Postagem: Geadas ameaçam lavouras do Paraná

imprensa@faep.com.br