Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 26/11/2012 - 12h00
Postado em Notícias

26/11/2012 12h00 - Postado em Notícias

FAEP pede socorro para a Avicultura

A crise de renda da avicultura paranaense está se agravando e entrou no terceiro mês sem que nenhuma medida governamental fosse adotada. No âmbito do governo federal é como se a crise não existisse no Paraná, apesar do Estado ser líder em produção de aves. Os elevados custos de produção, que conduzem as empresas integradoras […]

A crise de renda da avicultura paranaense está se agravando e entrou no terceiro mês sem que nenhuma medida governamental fosse adotada. No âmbito do governo federal é como se a crise não existisse no Paraná, apesar do Estado ser líder em produção de aves.

Os elevados custos de produção, que conduzem as empresas integradoras a encerrar ou reduzir suas atividades, tem levado desespero a milhares de famílias rurais. No estado a atividade envolve mais de 19 mil produtores, 60 mil empregos diretos e cerca de 600 mil indiretos, gerando gera um Valor Bruto da Produção de R$ 5,4 bilhões. O Estado responde por 28,36% do total de abate de frangos de corte e por 26% das exportações brasileiras. 

O apoio do governo com as vendas de milho em balcão, de janeiro a agosto, totalizaram 326,9 mil toneladas, das quais o Paraná foi contemplado com irrisórias 5 mil toneladas.

Diante desse cenário o presidente da FAEP, Ágide Meneguette, encaminhou à bancada federal paranaense em Brasília e à Comissão de Agricultura Pecuária Abastecimento e Desenvolvimento Rural (CAPDR) ofício contendo as  seguintes reivindicações:

1)      Prorrogação automática das parcelas de crédito rural dos programas de investimentos e do MODERAGRO do BNDES para avicultores INTEGRADOS com parcelas vencidas em 2012 e vincendas até 30 de junho de 2013, postergando o vencimento dessas parcelas para o final do contrato.

2)      Alocação imediata de recursos para apoio à comercialização de milho no Paraná com vendas em balcão ao preço de R$ 21,00 por saca e também por meio de VEP. De acordo com dados da CONAB os estoques públicos do Mato Grosso e Goiás ainda somam 518 mil toneladas e podem ser removidos para o Paraná, à exemplo do que foi feito para o RS e SC.

3)      Redução da taxa de juros para 5,5% dos financiamentos vigentes, contratados antes de 1. de julho de 2012, dos programas de investimento do Moderagro.

4)       Criação de Linha de Crédito para Capital de Giro para as indústrias com prazo de reembolso de 72 meses.

imprensa@faep.com.br