Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 20/09/2017 - 11h29
Postado em Destaques, Piscicultura

20/09/2017 11h29 - Postado em Destaques, Piscicultura

FAEP pede apoio à aquicultura

Apesar de ser o setor agropecuário com maior crescimento no Brasil, atividade não tem subvenção no seguro e acompanhamento de preços feito pelo poder público

A FAEP encaminhou dois ofícios nesta terça-feira (19) para pedir apoio à aquicultura do Estado. Apesar de ser o setor agropecuário que mais cresce no país, a produção de peixes não conta com subvenção no seguro rural e ainda não tem um levantamento de preços por parte do poder público, como ocorre no Paraná com outras carnes e grãos, por exemplo. Os documentos foram enviados ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná (Seab).

No documento enviado ao Mapa, a FAEP argumenta que é necessário alocar recursos no Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) para a subvenção na modalidade aquícola. “O apoio do PSR ao produtor é importante para possibilitar o acesso às coberturas previstas nesta modalidade de seguro, a qual é precificada conforme as características de cada produtor, sendo inviável a sua contratação sem subvenção”, diz o presidente da FAEP, Ágide Meneguette.

O Paraná é o maior produtor de tilápia do Brasil, somou 73 mil toneladas do produto em 2015 (último dado disponibilizado pela SEAB). A expectativa é que em 2017 sejam alcançadas mais de 100 mil toneladas do peixe. Diversos investimentos estão em andamento para fomentar a atividade no Estado. O processamento e industrialização da produção são atendidos pelas cooperativas Copacol, C.Vale, Copisces e frigoríficos locais.

Acompanhamento de preços

No ofício encaminhado à Seab, a FAEP reforça que mesmo com um crescimento expressivo nos últimos anos, a produção de tilápia ainda enfrenta muitos desafios, principalmente em relação à organização da cadeia produtiva. “O preço praticado na venda da tilápia inteira é instável e divergente entre as regiões e essa instabilidade gera insegurança para o setor afetando diretamente aos produtores rurais”, problematiza o presidente.

Por isso, a FAEP solicitou a inclusão do preço pago ao produtor de tilápia no levantamento disponibilizado periodicamente pelo Departamento de Economia Rural (Deral), da Seab. “A divulgação do preço da tilápia pago ao produtor vai auxiliar na organização da piscicultura no Estado, fortalecendo o crescimento e a sustentabilidade da atividade”, aponta Meneguette.

Título da Postagem: FAEP pede apoio à aquicultura

imprensa@faep.com.br