Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 13/12/2013 - 13h48
Postado em Agronegócios, Sanidade, Suinocultura

13/12/2013 13h48 - Postado em Agronegócios, Sanidade, Suinocultura

Exportações de suíno caem, mas mercado interno reage

A redução do volume exportado para a Ucrânia devido à barreira tarifária pode ter refletido de forma negativa nas exportações paranaenses de carne suína em 2013

 Exportações de suíno caem, mas mercado interno reageA redução do volume exportado para a Ucrânia devido à barreira tarifária imposta pelo país do leste europeu pode ter refletido de forma negativa nas exportações paranaenses de carne suína em 2013. O embarque ao exterior deve fechar o ano em 50 mil toneladas, 11,4 mil toneladas a menos em relação a 2012. Para a suinocultura paranaense, essa queda nas exportações não quebra o bom momento vivido pelo setor devido à melhoria nos preços pagos aos produtores, motivada pela baixa oferta de animais e pelo consumo interno aquecido.

No mercado nacional, o preço pago ao produtor paranaense reagiu em comparação a 2012. Em novembro, o valor do suíno raça pago ao produtor ficou em R$ 3,31 o quilo, 12,6% superior se comparado ao mesmo período do ano passado. “Estamos em um cenário de recuperação do setor, tanto no mercado interno quanto no exterior, esse último devido ao potencial de abertura de novos mercados e também pela volta dos mercados que deixaram de comprar”, frisa Edmar Gervásio, administrador do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab).

Quanto às exportações paranaenses, Gervásio explica que o Estado destina ao mercado internacional em torno de 10% de sua produção, o que considera ainda uma margem pequena. A produção prevista para este ano no Paraná é de 700 mil toneladas de carne, contra 682 mil toneladas ofertadas em 2012. Essa baixo volume de produção é devido à crise instaurada no setor nos últimos anos, que reduziu o número de matrizes não só no Estado, mas também em todo o Brasil.

Nacional
O ritmo das exportações brasileiras segue muito aquém do esperado pelas entidades de classe. Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipecs), de janeiro a novembro de 2013 o País exportou 479,98 mil toneladas de carne, queda de 11,29% em relação ao mesmo período do ano passado. Em receita, a queda acumulada chegou a 9,58%, fechando o período com um valor negociado de US$ 1,39 bilhão.

No mesmo período, a Rússia representou 26,09% das exportações da carne brasileira, seguindo da Ucrânia, com 13,73%. Em receita, a Rússia também segue em primeiro lugar com 30,21%, seguindo de Hong kong (21,38%) e Ucrânia (15,18%).

Somente no mês de novembro, as exportações brasileiras para a Rússia representaram 23,24%, chegando a 8.988 toneladas de carne suína brasileira a uma receita de US$ 28,65 milhões, queda de 22,26% no faturamento se comparado ao mesmo período do ano passado. Para a Ucrânia, as vendas no mês de novembro somaram 2.869 toneladas em volume e US$ 9,29 milhões em receita, queda de 78,92% em volume e 74,11% no valor se comparado a novembro de 2012.

No acumulado do ano até novembro, o País exportou para a Ucrânia 65.911 toneladas e US$ 191,03 milhões, queda de 49,79% em volume e 43,59% em receita. As vendas para Hong Kong, um dos maiores compradores do Brasil, foram de 10.190 toneladas e US$ 23,71 milhões em novembro, aumento de 1,22% em volume e queda de 8,33% em valor se comparado ao mesmo período do ano passado. De janeiro a novembro, o Brasil exportou para o país 112.406 toneladas e US$ 269,03 milhões, queda de 1,21% em volume e de 3,35% em receita.

porco

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte – Folha de Londrina – 13/12/2013

 

Título da Postagem: Exportações de suíno caem, mas mercado interno reage

imprensa@faep.com.br