Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 31/10/2014 - 09h47
Postado em Tecnologia

31/10/2014 09h47 - Postado em Tecnologia

Excelência no campo

A Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária é uma espécie de núcleo pensante na área de pesquisa e transferência de tecnologia aos cooperados

Para aumentar a eficiência nas lavouras, softwares, Sistema de Navegação por Satélite (GNSS), Sistema de Direcionamento Automático (piloto automático), VANTs (Veículo Aéreo Não Tripulado), sensores e monitoramento de colheita são ferramentas cada vez mais frequentes e utilizadas nas propriedades rurais. É o que ocorre na “Colônia dos Alemães”, em Entre Rios, a 25 quilômetros de Guarapuava. Nessa comunidade, escondida no terceiro planalto paranaense, um dos esteios da produção da Cooperativa Agrária Agroindustrial – conhecida como Agrária – é a Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária, a FAPA. A instituição é uma espécie de núcleo pensante na área de pesquisa e transferência de tecnologia aos cooperados.

Atuante em oito áreas de pesquisas*, nos últimos quatro anos, a FAPA vem trabalhando sistematicamente em Agricultura de Precisão (AP). Antes desse sistema de manejo integrado de informações e tecnologia chegar a campo, tudo é testado e avaliado por pesquisadores da fundação. Entre eles, o engenheiro-agrônomo Étore Francisco Reynaldo, mestre e doutor em máquinas agrícolas. “A nossa pesquisa é desenvolvida de acordo com a necessidade dos produtores cooperados e a indústria. O nosso papel é criar, testar e/ou adaptar a tecnologia antes dela chegar à propriedade rural”, explica.

Numa área de 120 mil hectares destinada às culturas de soja, milho, cevada e trigo que envolve a Agrária, em torno de 37 mil hectares utilizam alguma tecnologia em AP. “Há alguns anos, o plantio era convencional: a terra era arada, nivelada e novamente era realizada uma outra nivelação para depois fazer o plantio. Dessa forma, o solo ficava totalmente descoberto. Aí surgiu o plantio direto, quando ocorreu um ‘up’ na conservação e aumentou e estabilizou a produtividade da lavoura. Contudo, nós estamos novamente num momento estável quando se trata de produtividade. Por isso, a AP vai ser o novo caminho pois através desse sistema iremos conseguir otimizar o uso de insumos, sementes e controle fitossanitário. Cada metro da lavoura pode ser diferente do outro e a agricultura de precisão permite o manejo dessa variabilidade. Por exemplo, numa área de talhão menos produtivo, o agricultor vai colocar menos insumos e plantas. Isso significa rentabilidade para ele”, avalia o pesquisador. Para lei a matéria completa clique aqui.

Título da Postagem: Excelência no campo

imprensa@faep.com.br