Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 28/04/2021 - 13h10
Postado em Destaques, Faep

28/04/2021 13h10 - Postado em Destaques, Faep

Evento online do Sistema S debate ética nas instituições

1ª Edição Compliance Day contou com a participação dos dirigentes para apontar a importância da transparência nas ações do dia a dia

Nessa quarta-feira (28), colaboradores e dirigentes das entidades que formam o “Sistema S” no Paraná participaram a 1ª Edição Compliance Day Sistema S Paraná. O Evento online transmitido pelo Canal da Indústria, vinculado Sistema Fiep, no Youtube, contou com centenas de espectadores que puderam debater o papel da ética e da transparência nas ações do dia a dia.

A primeira parte do evento foi um bate-papo entre os dirigentes das entidades do Sistema S no Paraná. Além do presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR, Ágide Meneguette, participaram o presidente da Fecomércio/Sesc/Senac-PR e vice-governador do Estado, Darci Piana; o presidente da Fiep/Sesi/Senai-PR, Carlos Valter Martins Pedro, o presidente do Sebrae/PR e Faciap, Fernando Moraes; o presidente da Fetranspar/Sest/Senat-PR, Coronel Sérgio Malucelli, e o presidente da Ocepar/Fecoopar/Sescoop, José Roberto Ricken.

Ágide Meneguette participou da cerimônia de forma remota e falou dos impactos que envolvem a implantação da cultura da compliance entre as diretrizes de governança de uma instituição, práticas de gestão que conferem credibilidade, transparência e segurança aos processos. O dirigente do Sistema FAEP/SENAR-PR também discorreu sobre como esse processo vem ocorrendo dentro do SENAR-PR (confira o que cada dirigente falou mais abaixo).

“No sistema FAEP/SENAR-PR, a orientação que temos é desempenhar nossas ações de forma ética cumprindo todas as exigências legais. Temos auditorias interna e externa, o Tribunal de Contas da União, Controladoria Geral da União e agora temos que atender à legislação que exige que tenhamos compliance nas nossas instituições”, apontou Meneguette.

“Ética se aprende em casa, mas, infelizmente, temos visto que precisamos rever nosso sistema de ensino para que nossos filhos e netos realmente vejam as coisas pelo lado da transparência, da ética e da honestidade. Aprendi com meu pai o que é ser ético e ser honesto. Se as pessoas tivessem incorporado a ética dentro de suas casas, não precisaríamos estar aqui discutindo isso”, complementou.

Palestra

Depois do bate-papo dos líderes, a filósofa e doutora em educação Terezinha Rios proferiu uma palestra com o tema “O desafio de ser ético”. De acordo com a palestrante, muitas vezes confundimos a moral, que é o conjunto de leis e costumes que regem nossas condutas em sociedade, com a ética, que são valores baseados em princípios universais e permanentes, como respeito, justiça e solidariedade.

“Não é à toa que falando de compliance somos remetidos à ética. Se eu apenas estou atento ao cumprimento das leis, estou só no departamento da moral. O compliance nos leva para o departamento da ética, porque eu me pergunto se estas leis são efetivamente construídas para o bem de todos. É preciso observar se existe coerência do discurso com a prática”, pontuou Terezinha.

A filósofa também propôs uma reflexão entre os participantes olhando nossa relação com o mundo com clareza, profundidade e abrangência.

“Ver claro procurando afastar aquilo que embaça nossa visão, que são preconceitos e ideologias. Ver com profundidade, não se contentando com a superfície das aparências. É preciso ir além das manifestações e buscar as causas. Ver largo é procurar ver na totalidade. A realidade é muito maior que o conhecimento que temos sobre ela e é preciso que consideremos os diversos ângulos da realidade, e a realidade é contraditória”, ensinou.

Grupo de Compliance

O Sistema FAEP/SENAR-PR possui um Grupo de Trabalho formado por colaboradores de diversos departamentos para trabalhar as questões relativas à adoção da cultura do compliance, governança e risco. Esse grupo atua com o mapeamento dos processos e seus riscos para contribuir com a introdução do compliance na instituição. Outra iniciativa é um grupo para trabalhar as mudanças trazidas pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que trata dos cuidados que pessoas e entidades devem ter em relação aos dados pessoais de terceiros.

O que é o Sistema S ?

O chamado “Sistema S” é composto pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), Serviço Social da Indústria (SESI), Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC), Serviço Social do Comércio (SESC), Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (SESCOOP), Serviço Social do Transporte (SEST), Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SENAT), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR).

Trata-se de organizações paraestatais, ou seja, entidades privadas que realizam atividades de interesse coletivo e por isso recebem incentivos públicos. Desse modo suas ações passam por um rigoroso sistema de fiscalização e auditoria de diversos órgãos de controle, como Controladoria Geral da União (CGU) e Tribunal de Contas da União (TCU).

Veja parte do pronunciamento dos dirigentes do Sistema S

Carlos Valter Martins Pedro – Sesi/Senai

“A ética, a integridade e a transparência têm que ser valores inegociáveis. Não posso trabalhar com recurso de terceiros sem esse tripe de ética, integridade e transparência. Não podemos trabalhar isso sem que tenhamos no nosso corpo de funcionários uma autonomia para fazer  melhor trabalho possível, mas como a responsabilidade da preservação destes compromissos.

Esse tripé (ética, integridade e transparência) tem que ser buscado sempre no benefício do melhor interesse da indústria do Paraná”.

Darci Piana – Sesc/Senac

“A ética na verdade, como a moral, faz parte da essência do ser humano, desde o início do homo sapiens, isso não mudou o homem nasce com ética e moral, o desviar do caminho se dá em função da pressão social, mas a essência permanece e isso vem de dentro da educação.

Desde q assumi o SESC/SENAC e a Federação, tenho pautado todos os colaboradores e dirigentes para que sigam a ética. E como temos esse trabalho com a educação, é fundamental que possamos transferir para esses alunos estes ensinamentos, continuar a levar a estes estudantes tudo aquilo que uma sociedade justa e digna deve dar continuidade.

É fundamental ter consciência da nossa responsabilidade, fazer os ajustes necessários e cobrar dos colaboradores que essa ética deve permanecer e deve pautar as ações do nosso sistema”.

Fernando Moraes – Sebrae

“O comprometimento do conselho, diretores e gerentes deve ser um exemplo para toda a companhia. Não adianta falar de compliance e agir de maneira diferente. Naturalmente você precisa passar para seus liderados essa ética. Também, junto com sua equipe, ampliar isso da maior maneira possível, para todos na companhia conheçam as regras do compliance.

Precisamos tomar cuidado, ser rígido nos processos, mas não engessar completamente a companhia senão ela não vai atingir seus resultados”.

José Roberto Ricken – Sescoop

“Nossa presença aqui é a demonstração da importância que damos ao tema e o nosso apoio absoluto para que o Sistema S no Paraná seja exemplo de ética e de conformidade.

O momento é cruel, ninguém imaginava que na nossa existência passaríamos por uma provação desse tamanho com a pandemia. Então é o momento de reafirmar nosso compromisso em relação à ética. Temos que comunicar de forma clara, direta. Tem que ser uma prática do dia a dia e as lideranças devem assumir as responsabilidades”.

Temos que tornar prático o programa [de compliance], realizar os treinamentos necessários, avaliar de forma clara e efetiva as normas e práticas que garantem essa responsabilidade. Se fizermos isso de forma conjunta, aproveitando as experiências de cada um, isso vai facilitar a nossa vida”.

Sérgio Malucelli – Sest/Senat

“O compliance nasceu nos EUA, porque não havia transparência do banco federal americano e houve alguns desvios. Isso acabou vindo para o mundo e no Brasil com maior intensidade nos últimos cinco anos, com o combate a corrupção. Mas acho que é muito mais do que isso. Compliance é ética, é exemplo, começa por nós mesmos. Com o nosso compliance sem dúvidas tivemos ganhos em qualidade.”

Título da Postagem: Evento online do Sistema S debate ética nas instituições

imprensa@faep.com.br