Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 16/09/2014 - 10h45
Postado em Grãos, Soja

16/09/2014 10h45 - Postado em Grãos, Soja

Estoque cresce mais na soja que no milho

O setor ainda confia em mudança no mercado

A redução na área do milho no verão estimada em 14% no Paraná e em 5,7% no Rio Grande do Sul revela que, para o produtor, o cereal será bem menos lucrativo do que a soja em 2014/15. No entanto, ao explicar o motivo pelo qual plantaram soja dentro do vazio sanitário (período proibido por lei, que terminou ontem), agricultores paranaenses dizem estar com pressa para semear milho na primeira semana de janeiro a melhor época para a safra de inverno. O setor ainda confia em mudança no mercado.

A decisão de continuar apostando no cereal no inverno ainda não foi tomada, avalia a Companhia Nacional de Abastecimento. Um estudo sobre as tendências de 2014/15 aponta que o quadro será definido durante o verão.

O fato é que os estoques internacionais da soja cresceram bem mais que os do milho, o que limita o espaço também da oleaginosa. No final da temporada passada, as reservas eram suficientes para 91 dias de consumo e, no encerramento de 2014/15 (mesmo considerando aumento na demanda), suprem 115 dias. Ou seja, diante da safra recorde dos Estados Unidos (106,5 milhões de toneladas) e da previsão de crescimento na produção também na América do Sul, há grãos para 24 dias a mais.

No caso do milho, o suprimento final de 2013/14 dava para 67 dias e no encerramento de 2014/15 deverá cobrir 72 dias, apenas cinco dias a mais, conforme projeção do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (Usda).

Os técnicos avaliam, porém, que as exportações globais da soja continuarão crescende. Devem avançar 2% e chegar a 115 milhões de t, praticamente o mesmo volume do milho, que chegava a 127 milhões de t mas cai 10%, aponta o Usda.

Com os EUA exportando perto de 45 milhões de toneladas ao ano (no ano passado foram 18,5 milhões), será mais difícil para o Brasil manter suas vendas na casa de 20 milhões de toneladas. Por enquanto, a pressão sobre os preços, enfrentada neste inverno, é dada como certa em 2015.

Colheita deve começar durante o Natal no Paraná

Palotina, no Oeste, acelera o plantio da soja nesta semana e praticamente elimina o milho, conforme a cooperativa C. Vale

A antecipação do plantio de soja, tendência que se acentuou nos últimos cinco anos, deve fazer com que a colheita, normalmente iniciada em janeiro, comece no Natal no Paraná. O uso de sementes precoces permite o fechamento do ciclo da planta em 110 dias. Dessa forma, quem semeou na semana passada poderá colher na última semana de 2014, dependendo do clima.

Os produtores que aproveitaram as chuvas registradas entre domingo e ontem semeando na semana passada terão clima bom nos próximos dias. Na região de Cascavel, por exemplo, o sol reaparece entre hoje e amanhã, e novo período de umidade começa na quinta-feira.

A antecipação do plantio, por outro lado, pode acabar em multas de R$ 3,5 mil a R$ 12 mil. O número de autuações por cultivo dentro do período de vazio sanitário chegou a 100 um mês atrás (ante 78 durante todo o prazo de 90 dias em 2013), relata a agrônoma Maria Celeste Marcondes, da Agência de Defesa Agropecuária (Adapar). São consideradas legais as lavouras que nascem a partir do dia 15. Novo balanço da fiscalização será divulgado nesta semana. A própria soja que leva de 5 a 8 dias para emergir pode denunciar infratores.

 
Fonte: Gazeta do Povo – 16/09/2014

Título da Postagem: Estoque cresce mais na soja que no milho

imprensa@faep.com.br