Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 19/09/2012 - 12h00
Postado em Notícias

19/09/2012 12h00 - Postado em Notícias

Entrega de adubos é recorde em agosto

A demanda por fertilizantes segue aquecida e a entrega dos produtos das misturadoras às revendas atingiu em agosto o maior patamar da história para um mês, segundo a Associação dos Misturadores de Adubos do Brasil (AMA). As entregas somaram 3,455 milhões de toneladas no mês passado, aumento de 10,8% sobre agosto de 2011, de acordo […]

A demanda por fertilizantes segue aquecida e a entrega dos produtos das misturadoras às revendas atingiu em agosto o maior patamar da história para um mês, segundo a Associação dos Misturadores de Adubos do Brasil (AMA).

As entregas somaram 3,455 milhões de toneladas no mês passado, aumento de 10,8% sobre agosto de 2011, de acordo com dados divulgados ontem pela Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda).

No acumulado do ano, as entregas totalizaram 17,794 milhões de toneladas, crescimento de 4,8% sobre as 16,971 milhões de toneladas entregues de janeiro a agosto do ano passado.

A produção saltou apenas 0,3% no acumulado de 2012, para 6,325 milhões de toneladas. A importação de adubos recuou 20,6% em agosto. No intervalo de janeiro a agosto, as compras internacionais caíram 2,6%, para 12,634 milhões de toneladas.

Carlos Eduardo Florence, diretor-executivo da AMA, diz que o desempenho registrado neste ano deriva da grande demanda e mostra que não houve problemas de entrega por parte das misturadoras para as revendas. Para ele, a produção nacional e os estoques das indústrias estão atendendo ao agricultor de forma racional.

Do fim de julho até meados de agosto, alguns produtores do Mato Grosso encontravam dificuldade para receber o produto diante da greve de caminhoneiros e problemas com frete, mas a situação já foi normalizada segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). Conforme o instituto, cerca de 80% dos adubos para o plantio da soja já estão nas mãos dos produtores.

A importação de fertilizantes, cuja demanda cresce neste período para o plantio da safra de verão 2012/13, também enfrentou problemas com as paralisações de funcionários públicos nos portos.

Há a expectativa de que as entregas continuem aumentando nos próximos meses, mas Florence alerta que tudo vai depender do clima. Se a chuva chegar até o fim do mês, há plantio normal da safra verão, o que garante procura de adubos também a partir de novembro até fevereiro para o cultivo da segunda safra (safrinha). Mas se não chover o suficiente, pode atrasar a demanda por fertilizantes para a safrinha.

A demanda aquecida também provoca reajuste nos preços destes produtos no mercado interno. Os fosfatados, por exemplo, tiveram alta média de 2,7% este mês ante agosto, de acordo com Rafael Ribeiro de Lima Filho, analista da Scot Consultoria. (CF)

Valor Online – São Paulo/SP

imprensa@faep.com.br