Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 26/08/2013 - 12h00
Postado em Notícias

26/08/2013 12h00 - Postado em Notícias

Empreendedorismo vai fazer parte dos cursos técnicos

O empreendedorismo vai fazer parte da rotina dos cursos técnicos neste segundo semestre de 2013. O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec Empreendedor), criado por meio de uma parceria entre o Sebrae e o Ministério da Educação, vai inserir conteúdos de empreendedorismo em 15 cursos técnicos. A ideia é que a […]

O empreendedorismo vai fazer parte da rotina dos cursos técnicos neste segundo semestre de 2013. O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec Empreendedor), criado por meio de uma parceria entre o Sebrae e o Ministério da Educação, vai inserir conteúdos de empreendedorismo em 15 cursos técnicos. A ideia é que a partir do próximo ano já ocorra a ampliação do número de cursos no programa.

No Paraná, o Sebrae já está na fase de capacitação dos docentes das diversas instituições de ensino da rede Pronatec. Esta qualificação dos professores é realizada por meio do ensino a distância e já capacitou três turmas que receberam, cada uma, 32 horas de formação inicial.

Através desta ação serão incorporados aos cursos conteúdos de empreendedorismo com carga horária de 24 a 52 horas. Entre as competências a serem trabalhadas com os alunos estão compreender o mercado de trabalho e o mundo do trabalho para o desenvolvimento do seu projeto de vida; identificar os tipos de empreendedorismo e suas características; reconhecer a importância do desenvolvimento de atitudes empreendedoras para o seu projeto de vida e desenvolver um plano de vida e carreira.

O empreendedorismo estará presente em cursos técnicos como cabeleireiro, manicure, informática, eletricista, pedreiro, salgadeiro, fruticultor, cuidador de idosos, promotor de vendas, montador e reparador de computadores, motorista de transporte escolar, pintor de obras, técnico em agroindústria, bovinocultor de leite e horticultor orgânico. A formação escolar exigida para participar dos cursos geralmente é o ensino médio, mas isso depende de cada curso técnico.

"O comportamento empreendedor é importante para a empregabilidade porque a pessoa desenvolve persistência, iniciativa, independência e autoconfiança, características que dão diferencial a um profissional, seja ele empregado ou empregador", disse a consultora de educação empreendedora do Sebrae-PR, Paula França Tissot.

Segundo ela, o primeiro módulo é obrigatório, tem 24 horas e desenvolve plano de vida e carreira. A consultora explica que os conteúdos têm como meta fazer o aluno enxergar oportunidades no mercado para abrir o próprio negócio ou como colaborador de uma empresa.

"O brasileiro é extremamente empreendedor e o número de empreendedores por oportunidade no País é cada vez maior", destacou. Segundo ela, os alunos que têm alguma informação em empreendedorismo correm riscos calculados porque planejam, buscam informações, estabelecem metas e aumentam a chance de sucesso do negócio próprio.

Entre as entidades parceiras que vão ministrar os cursos dentro do Pronatec Empreendedor estão Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), Serviço Nacional e Aprendizagem Rural(Senar), Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), entre outras.

Folha de Londrina

imprensa@faep.com.br