Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 17/01/2013 - 12h00
Postado em Notícias

17/01/2013 12h00 - Postado em Notícias

Embrapa investe em agricultura de precisão

Mais espaço para o desenvolvimento de pesquisas e tecnologias da fronteira do conhecimento. É o que promete a agenda para 2013 na Embrapa Instrumentação (São Carlos, SP), com as inaugurações do Laboratório de Referência Nacional em Agricultura de Precisão (Lanapre) e do segundo módulo do Laboratório Nacional de Nanotecnologia para o Agronegócio (LNNA). O Lanapre […]

Mais espaço para o desenvolvimento de pesquisas e tecnologias da fronteira do conhecimento. É o que promete a agenda para 2013 na Embrapa Instrumentação (São Carlos, SP), com as inaugurações do Laboratório de Referência Nacional em Agricultura de Precisão (Lanapre) e do segundo módulo do Laboratório Nacional de Nanotecnologia para o Agronegócio (LNNA).

O Lanapre está sendo construído numa área da Fazenda Canchim, onde está localizada a Embrapa Pecuária Sudeste. Além dos dois Centros de Pesquisa da Embrapa em São Carlos, esse espaço deverá atender à Rede de Agricultura de Precisão, que conta com mais 18 unidades da Embrapa e 52 empresas e instituições parceiras em todo o Brasil.

Com previsão de inauguração para o 2º semestre, o laboratório — que já está em fase avançada de construção – irá contar com uma infraestrutura para abrigar máquinas, realizar testes de conexão entre diferentes fabricantes, tanto laboratorial como em campo, promover eventos para compatibilizar conexão e integrar diferentes sistemas, instalar sistema de suporte de informática e geoinformática para desenvolvedores, realizar testes de desempenho de campo com sistema integrado, entre outros.

Já o novo módulo do LNNA — cuja inauguração deverá ocorrer no 1º semestre deste ano – irá auxiliar as pesquisas da Rede AgroNano, coordenada pela Embrapa Instrumentação, com a participação de mais 13 Centros de Pesquisa da Embrapa e 37 empresas, universidades e instituições no Brasil e no exterior.

O Laboratório, inaugurado em 2009, tem contribuído diretamente em pesquisa para o desenvolvimento de sensores e biossensores; filmes, revestimentos comestíveis e embalagens funcionais para alimentos; bionanocompósitos; novos materiais e processos em Nanotecnologia e suas aplicações no agronegócio; estudos dos aspectos de segurança em Nanotecnologia, entre outros.

Para 2013 a agenda prevê ainda cursos sobre Saneamento Básico Rural, Pós-Colheita em Frutas e Hortaliças, novos projetos de pesquisa para "Desenvolvimento de instrumentação, métodos e processos para avaliação e uso seguro de resíduos" e "Desenvolvimento da aplicação aérea de agrotóxicos como estratégia de controle de pragas agrícolas de interesse nacional".

"A Embrapa completa 40 anos de contribuições para o Brasil e para a Agricultura Tropical, por isso, neste ano pretendemos reforçar as parcerias com empresas, a cooperação científica e dotar nosso Centro de Pesquisa de uma capacidade instalada para cada vez mais oferecer resultados e tecnologias em instrumentação que auxiliem não somente os produtores rurais, mas os diversos públicos com os quais interagimos", ressalta o chefe geral da Embrapa Instrumentação, Luiz Henrique Capparelli Mattoso.

Novas tecnologias e patentes marcam balanço em 2012

A perspectiva otimista de Mattoso é baseada nos resultados alcançados em 2012, especialmente, no número de processos envolvendo ações de transferência de tecnologia. O balanço da Unidade apontou 21 contratos assinados com 19 instituições de pesquisa dos setores público e privado – do Brasil e do exterior – além de outros 11 convênios que estão em fase de conclusão com 15 empresas privadas e universidades internacionais.

Pela primeira vez em sua história, a Embrapa Instrumentação realizou o licenciamento internacional de uma tecnologia, o Tensiômetro de Diedro (sensor para manejo de irrigação) para a americana Irrometer, além da empresa brasileira Tecnicer. O Centro de Pesquisa também teve sua tecnologia Wiltmeter lançada pela empresa Marconi Equipamentos (Piracicaba, SP) e três patentes concedidas, duas no Brasil e uma na União Europeia, além de quatro pedidos de depósito/registro de tecnologias e 2 pedidos de extensão de propriedade intelectual no exterior.

As ações para saneamento básico na área rural, com as tecnologias Fossa Séptica Biodigestora, Clorador Embrapa e Jardim Filtrante, voltadas principalmente para pequenos agricultores, ocorreram por meio de cursos, dias de campo, palestras, feiras e exposições no Rio Grande do Sul, Amapá, Pará, Sergipe, São Paulo. A Embrapa Instrumentação esteve presente em 102 eventos, entre os quais, uma ação voltada para mais de 1000 estudantes do ensino fundamental do município de Franca (SP), no programa Embrapa & Escola, junto com a Embrapa Pecuária Sudeste e Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP).

As redes de pesquisa lideradas pela Unidade de São Carlos também tiveram intensa agenda de eventos, tais como a participação em 9 palestras sobre Agricultura de Precisão organizadas pelo Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) nas 5 regiões do Brasil, ou ainda o workshop sobre Inovação e Transferência de Tecnologia da Rede de Nanotecnologia aplicada do Agronegócio, que discutiu, em Juiz de Fora (MG), como aproximar a iniciativa privada dos projetos de pesquisa e disponibilizar as tecnologias para a sociedade de maneira rápida e eficiente.

Em relação à cooperação internacional, o pesquisador Paulo Sérgio de Paula Herrmann Júnior já está, desde outubro, integrando a equipe do Laboratório Virtual no Exterior (Labex Europa), na Universidade de Jülich (Alemanha). O pesquisador Ladislau Martin Neto deixou a presidência da Sociedade Internacional de Substâncias Húmicas após 2 anos de mandato e foi nomeado, no fim de dezembro, para o cargo de Diretor de Pesquisa & Desenvolvimento da Embrapa. Dois meses antes, a Embrapa Instrumentação já havia cedido o pesquisador Paulo Estevão Cruvinel para ocupar a Chefia da Secretaria de Gestão Estratégica, também em Brasília.

"Esses resultados foram reconhecidos pelos integrantes do novo Comitê Assessor Externo da Embrapa Instrumentação, que conta com pessoas representativas do agronegócio brasileiro, e refletem o esforço de uma equipe de 87 pessoas, entre pesquisadores, analistas e assistentes, para a melhoria do trabalho que realizamos nas áreas de Pesquisa & Desenvolvimento, Transferência de Tecnologia e Administração", conclui Luiz Henrique Capparelli Mattoso.

Agrosoft – Juíz de Fora/MG

imprensa@faep.com.br