Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 04/12/2015 - 08h54
Postado em Ágide Meneguette, Destaques, Eventos, Faep, Programa Empreendedor Rural, Senar - PR

Discurso do presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR, Ágide Meneguette, durante a premiação do PER

Temos que nos orgulhar que é o setor agropecuário, com os seus sucessivos saldos na balança comercial internacional, que ainda está segurando o Brasil. Este setor somos nós, os agricultores e pecuaristas. Os empreendedores rurais

O Brasil vive um tempo difícil. Todo mundo sente isto na falta de segurança, na crise econômica, no desemprego crescente, na alta da inflação, na turbulência política.Somos hoje um povo sem esperanças e levados pelo pessimismo em nossas decisões.O Brasil precisa mudar e com urgência se queremos ter uma solução para evitar que esse desastre, por si só colossal, se agrave ainda mais. O Brasil está perdendo o passo com o resto do mundo. Estamos nos atrasando.As grandes decisões, contudo, dependem da classe política, que parece presa pela perplexidade, sem saber o que fazer ou, pior, parte dela embalada pelo oportunismo.Muitos estão apenas em busca de cargos para apadrinhados na máquina pública e como pressão aprovam projetos de lei com despesas inviáveis para o Tesouro Nacional e, ao que parece, nem pensam no país.

As reformas necessárias – a trabalhista, a previdenciária, a tributária, a política – foram esquecidas e assim o país marcha para onde ninguém sabe.Falta uma liderança forte e consciente que nos tire dessa enrascada política, social e econômica, e essa parece ser a grande desgraça que enfrenta nosso país na atualidade.No meu pronunciamento na abertura do Empreendedor de 2007 abordei a questão política, algo muito semelhante do que vem ocorrendo agora: a descoberta da corrupção no âmbito do governo federal. Na época era o “Mensalão”, que os juristas classificam hoje como uma ocorrência para julgamento nas “pequenas causas”, se comparado com a magnitude do que já se apurou na “Lava Jato”; um escândalo em escala dantesca.No entanto, tudo pode ter conserto, como mostra a História ao analisar a vida e o desenvolvimento das nações. Outros países passaram por turbulências políticas e econômicas semelhantes e deram a volta por cima.

Por isso e para vislumbrar um cenário do que nos espera nos próximos tempos e o que é possível fazer, é que convidamos para a palestra magna deste evento um dos mais brilhantes técnicos da atual geração brasileira. Xico Graziano tem experiência cultivada nos anos do Plano Real, durante o governo Fernando Henrique Cardoso, de quem foi um colaborador próximo e é um dileto amigo. Naquele tempo, o Brasil soube como desembarcar de uma tragédia econômica e social sem precedentes, com uma inflação beirando a 80% ao mês e sem perspectivas aparentes.
Naquela ocasião, no final dos anos 1990, tínhamos governo, tínhamos liderança, tínhamos um programa para sair da crise. Foi quando, além de derrotar uma hiperinflação que diariamente sugava todos os esforços da população brasileira, foram impostas regras para uma administração eficiente e responsável, como a Lei de Responsabilidade Fiscal, tão massacrada pelo atual governo federal, com suas sucessivas e indecentes “pedaladas”.

Xico Graziano em parceria com outro agrônomo, Zander Navarro, acabam de lançar um livro, “Novo Rumo Rural”, que mostra como o nosso setor se desenvolveu nos últimos anos e como foi a política de governo que contribuiu para isso.Estamos, portanto, diante de uma voz com conhecimento, que ajudou a implantar o Plano Real, iniciativa que naquela ocasião nos salvou de um abismo profundo.Mesmo que tenha algo amargo em minhas palavras, como consequência da situação pela qual passamos, quero dar minhas boas vindas a todos vocês, empreendedores rurais, mulheres atuais, jovens aprendizes e lideranças sindicais. Dou minhas boas vindas aos nossos convidados.

Hoje é um dia para refletir sobre nosso destino como nação e tomar consciência de que cada um de nós tem uma responsabilidade a seu cargo, independentemente do que faça ou não faça o Governo. Cada um de nós tem seu trabalho diário, sua produção, o convívio e a participação na comunidade. Na vida política de nosso município, do nosso estado e principalmente do nosso país.

Temos que nos orgulhar que é o setor agropecuário, com os seus sucessivos saldos na balança comercial internacional, que ainda está segurando o Brasil. Este setor somos nós, os agricultores e pecuaristas. Os empreendedores rurais.

Agradeço aos nossos deputados estaduais pela aprovação, na Assembleia Legislativa, do voto de louvor e congratulações pela promoção do Empreendedor Rural, apresentado pelo deputado Nereu Moura.Quero fazer um especial agradecimento ao nosso governador Beto Richa por haver solucionado a questão burocrática da aplicação do novo Código Florestal brasileiro.

Primeiro, encaminhando um projeto de lei aprovado pela Assembleia nos dando uma Lei Ambiental. Depois, assinando um decreto disciplinando a revisão dos Termos de Ajustamento de Conduta que afligiam mais de 120 mil produtores rurais de nosso Estado, que sem a providência do governo do Estado estariam injustamente sujeitos a ter que respeitar dimensões de áreas de proteção ambiental e obrigatoriedade de manter 20% de floresta em suas propriedades, tal como inscritas no antigo Código Florestal, que foi em muito boa hora revogado.

Agradeço a participação sempre importante de nossos parceiros do SEBRAE e Fetaep, dos sindicatos rurais – seus dirigentes e funcionários – e de todos os técnicos e instrutores que trabalham para que os cursos do empreendedor, do mulher atual, dos jovens agricultores seja um sucesso e estejam contribuindo de alguma forma para ser base para arrancar o Brasil deste infame atoleiro e permitir que o país tenha realmente um belo futuro lá adiante.

Muito obrigado

Ágide Meneguette
Presidente do Sistema FAEP

Título da Postagem: Discurso do presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR, Ágide Meneguette, durante a premiação do PER

imprensa@faep.com.br