Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 29/03/2016 - 09h33
Postado em Destaques, Grãos, Trigo

29/03/2016 09h33 - Postado em Destaques, Grãos, Trigo

Deral prevê queda de 11% na área plantada de trigo em 2016

Apesar da menor área plantada, a produção de trigo deve crescer para 3,60 milhões de toneladas em 2016, 10% acima dos 3,27 milhões de toneladas de 2015, devido à perspectivas de maior produtividade

A área plantada de trigo no Paraná no ciclo 2016 deve cair 11%, para 1,20 milhão de hectares, segundo estimativas divulgadas ontem pelo Departamento de Economia Rural do Estado (Deral/Seab), órgão ligado à secretaria de agricultura paranaense. Os preços mais atrativos do milho — que é um concorrente do trigo por área no Norte do Estado — e o “baixo” interesse da indústria pelo produto nacional explicam a expectativa de menor área plantada, conforme relatório do Deral assinado pelo agrônomo Hugo Godinho.

Apesar da menor área plantada, a produção de trigo deve crescer para 3,60 milhões de toneladas em 2016, 10% acima dos 3,27 milhões de toneladas de 2015, devido à perspectivas de maior produtividade. A última safra paranaense foi afetada por excesso de chuvas no período da colheita, o que reduziu o rendimento do cereal.

Conforme cálculos do Deral, os preços do trigo devem estar 1,8 vez superior ao do milho para equiparar a renda do produtor. Entretanto, segundo relatório do órgão, essa relação está atualmente em 1,2 vez, fazendo com que “a cultura do milho seja a favorita”. Com isso, segundo o Deral, o trigo tende a ocupar apenas as áreas onde o milho não tenha sido semeado, devido a limitações climáticas.

Além disso, segundo o departamento, a demanda interna por trigo também está tímida, uma vez que mesmo estando o mercado em entressafra, as cotações do cereal (em dólar) continuam “descontadas” em relação ao mercado externo. “Isso mostra que há um baixo interesse no produto nacional, seja pela expectativa dos moinhos de aquisições futuras com câmbio mais favorável, seja pela expectativa de cotações internacionais ainda menores. Com as cotações demorando a reagir, aumenta a aversão ao risco dos produtores, que vem no trigo apenas um complemento de renda à safra de verão”.

Fonte: Valor Econômico – 29/03/2016

Título da Postagem: Deral prevê queda de 11% na área plantada de trigo em 2016

imprensa@faep.com.br