Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 06/03/2013 - 12h00
Postado em Notícias

06/03/2013 12h00 - Postado em Notícias

Demanda e juros mantêm a venda de máquinas aquecida

Após um bom período de vendas no ano passado, as indústrias de máquinas agrícolas mantêm um ritmo forte de comercialização também neste início de 2013. No mês passado, as indústrias colocaram 846 colheitadeiras na rede autorizada para revenda, um número 58% superior ao de igual mês do ano passado. Janeiro já havia mostrado um bom […]

Após um bom período de vendas no ano passado, as indústrias de máquinas agrícolas mantêm um ritmo forte de comercialização também neste início de 2013.

No mês passado, as indústrias colocaram 846 colheitadeiras na rede autorizada para revenda, um número 58% superior ao de igual mês do ano passado.

Janeiro já havia mostrado um bom patamar de vendas, o que fez o primeiro bimestre registrar comercialização de 1.736 unidades, 53% mais do que nos dois primeiros meses do ano passado.

Até o setor de tratores, em geral com ritmo bem menor de vendas, se mostra aquecido neste início de ano. As indústrias do setor colocaram 4.791 unidades à venda no mês passado, 24% acima do total de idêntico mês de 2012.

As vendas acumuladas nos dois primeiros meses deste ano já somam 8.668 unidades, com evolução de 21% ante igual período do ano passado.

Esse bom ritmo de vendas de máquinas se deve a vários fatores. Um deles é a boa renda conseguida pelos produtores no ano passado, quando os preços dos grãos atingiram patamares recordes no mercado externo, permitindo bons ganhos também no interno.

Os bons preços permitiram ampliação de área de plantio e, consequentemente, uma evolução da safra de grãos. A produção deve ser recorde, o que exige mais máquinas.

Outro fator de garantia das vendas foi o volume de crédito para máquinas e as taxas de juros atraentes.

O PSI (Programa de Sustentação de Investimentos) somou R$ 5,8 bilhões em financiamento para os produtores rurais de julho do ano passado a janeiro último.

Um programa de apoio do governo para aquisição de máquinas, o PSI tem taxa de 2,5% ao ano. O volume de crédito dado aos produtores superou em 50% o de igual período anterior.

*

Soja Nos cálculos da Abiove (associação das indústrias esmagadoras), pelo menos 1,5 milhão de toneladas de soja da nova safra já chegou ao mercado. Atrasada pela chuva, a colheita agora deve ter ritmo a todo vapor, segundo a associação.

Exportações Um dos sinais dessa antecipação de safra foi a aceleração das exportações no mês passado, segundo a Abiove. De fato, os dados da Secex indicam vendas externas de 284 mil toneladas da oleaginosa em janeiro, volume que subiu para 960 mil toneladas em fevereiro.

Crédito A pecuária de Mato Grosso movimentou R$ 2,83 bilhões em crédito rural no ano passado, um volume 26% superior ao de 2011. Esse volume, no entanto, ficou inferior à demanda, segundo Luciano Vacari, da Acrimat (associação dos produtores).

Café O produto teve forte queda ontem em Nova York. O primeiro contrato recuou para 140,50 centavos de dólar, uma queda de 3,73% no dia. A queda sucede a uma alta na segunda-feira, quando o mercado reagiu a possíveis apoios do governo colombiano e de outros países aos produtores.

Leite O leite está entre os itens que contribuíram para o recuo da inflação em fevereiro. Alguns derivados chegaram a cair 1% no preço pago pelo consumidor na cidade de São Paulo, aponta pesquisa da Fipe. No campo, o leite teve queda de 0,7% no mês passado, segundo o Cepea.

Folha.com – São Paulo/SP

imprensa@faep.com.br