Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 09/04/2015 - 11h28
Postado em Pecuária de Corte

09/04/2015 11h28 - Postado em Pecuária de Corte

Demanda aquecida faz indústria pagar mais pelo boi

Os preços da arroba do boi gordo iniciaram a semana firmes, sustentados pela demanda

Os preços da arroba do boi gordo iniciaram a semana firmes, sustentados pela demanda. Consultorias chegaram a registrar alta de preço em São Paulo, num movimento atípico para uma segunda-feira, quando há mais conversas entre pecuaristas e indústria do que negócios de fato.

Desta vez, no entanto, a perspectiva de boas vendas no atacado no início do mês motiva a indústria a preencher suas escalas. “O que mais tem ajudado é o pagamento de salários”, disse o analista da Scot Consultoria Alex Santos. Com mais dinheiro disponível no período, os brasileiros movimentam o varejo, com reflexos no atacado, contribuindo para a maior demanda por bois.

A Scot observou alta na cotação da arroba à vista negociada em São Paulo, que foi a R$148,50, ante R$148 na semana passada. A prazo, o valor também subiu R$0,50 e foi a R$149,50. Já o Besi Brasil apurou preços estáveis, mas firmes, no Estado – há vendas por R$150/arroba, acima do preço de referência de R$148,50/arroba estimado pela instituição.

Outras praças também são influenciadas pelo desempenho no atacado no início do mês, mas a oferta restrita de animais segue como principal fundamento a levar para cima os preços do boi.

No Triângulo Mineiro, a arroba teve avanço, segundo a Scot. A cotação chegou a R$141 à vista e R$143 a prazo. Já em Campo Grande (MS), a alta foi de R$1,03, segundo o Cepea, para R$141,67 a arroba à vista, sem o Funrural.

A Informa Economics FNP apontou alta de preços no Pará e Tocantis. Em ambos, as escalas de abate seguem curtas e é preciso desembolsar mais pela arroba a fim de manter os negócios em níveis minimamente operacionais. O norte segue com problemas de escoamento em virtude das chuvas. Em Redenção (PA), a arroba à vista foi a R$125, ante R$123 na semana passada. No Tocantis, o preço de referência subiu em R$1 em Araguaíra (R$129) e Gurupi (R$128).

No atacado, o consumo dá suporte aos preços. O Besi Brasil registrou avanço nos preços do quilo do boi, para R$9,14, de R$9,08. Para a Scot e a Informa, no entanto, não houve oscilação.

Fonte: Scot Consultoria

Título da Postagem: Demanda aquecida faz indústria pagar mais pelo boi

imprensa@faep.com.br