Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 07/01/2014 - 11h35
Postado em Crédito Rural

07/01/2014 11h35 - Postado em Crédito Rural

Crédito tem R$ 2 bilhões engatilhados

Um grande volume de recursos tende a ser liberado nos próximos meses para construção de armazéns, um dos principais gargalos logísticos do agronegócio brasileiro. A remessa soma perto de R$ 2 bilhões, conforme os números do governo federal e do Banco do Brasil, principal operador do Programa de Construção e Ampliação de Armazéns (PCA). O […]

silo_GUm grande volume de recursos tende a ser liberado nos próximos meses para construção de armazéns, um dos principais gargalos logísticos do agronegócio brasileiro. A remessa soma perto de R$ 2 bilhões, conforme os números do governo federal e do Banco do Brasil, principal operador do Programa de Construção e Ampliação de Armazéns (PCA).

O PCA ganhou ritmo e soma R$ 1,58 bilhão em contratações no período de julho a novembro de 2013, de acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Do montante total, R$ 838,3 milhões são de propostas em análise, enquanto R$ 744 milhões referem-se às propostas aprovadas, liberadas e a liberar. Um valor atualizado das operações será divulgado no próximo dia 17 pelo órgão.

De acordo com o balanço do Banco do Brasil, divulgado ontem, R$ 1,306 bilhão foi aprovado até o dia 31 de dezembro somente pela instituição financeira. Esse número indica que o valor geral, incluindo todas as instituições financeiras, chega perto de R$ 2 bilhões.

A marca de R$ 1,3 bilhão é considerada ótima pelo vice-presidente de Agronegócios e Micro e Pequenas Empresas do banco, Osmar Dias. “É um programa novo que exige rigorosos procedimentos, mas o desempenho é muito bom. O dinheiro [aprovado] será liberado por etapas, conforme os projetos técnicos apresentados”, disse o executivo.

“Nossa meta eram R$ 2 bilhões até o final do Plano Safra [30 de junho]. Vamos superar essa meta, possivelmente até abril, e passar a operar com novos recursos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social)”, acrescenta.

Cooperativas

Do montante aprovado pelo Banco do Brasil, R$ 707 milhões são para o Paraná, seguido de longe por Goiás, com R$ 112 milhões. “As cooperativas [do Paraná] fazem a diferença. Elas têm uma demanda reprimida e estão aproveitando o crédito”, explicou Dias. Na análise por região, o Sul será o destino de 64% dos R$ 1,3 bilhão, enquanto 21% para o Centro-Oeste, 14% para o Sudeste e 1% para Norte e Nordeste.

Fonte: Gazeta do Povo

Título da Postagem: Crédito tem R$ 2 bilhões engatilhados

imprensa@faep.com.br