Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 27/11/2014 - 09h47
Postado em Pecuária de Corte

27/11/2014 09h47 - Postado em Pecuária de Corte

Cotações indicam que há espaço para expansão da pecuária bovina

Gado nelore perde espaço para soja no Sul do Brasil, mas ocupa pastagens renovadas no Cerrado do Centro-Oeste

Nem só de grãos vive o agronegócio na América do Sul. Os países da região são importantes produtores de carnes – bovina, suína e aves – no cenário global. De acordo com dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (Usda), a região produziu 37,7 milhões de toneladas de proteína animal em 2013, 15% do volume mundial (256,2 milhões de t). Para este ano, a previsão é alcançar 38,8 milhões de toneladas.

O principal segmento é o de carne de frango. A região produziu 17,3 milhões de toneladas de carne branca no ano passado, 21% do total mundial. Na sequência vem a matéria-prima do churrasco, com 15,4 milhões de toneladas, 26% da cota global. As 4,9 milhões de toneladas de carne suína, 4% do total produzido no mundo, comprovam que ainda há muito espaço para avançar.

As condições geográficas e a excelência na atividade na América do Sul são os principais pilares para a projeção de aumento na produção nos próximos anos. “O potencial da América do Norte foi limitado pela pressão dos grãos. Poucos países no mundo têm potencial para crescer com qualidade nas três carnes como os da América do Sul”, ressalta José Vicente Ferraz, diretor técnico da Informa Economics FNP. Brasil e Paraguai crescem a passos largos. Na Argentina, o momento é de recuperação.

Atualmente, as exportações consomem menos de um terço da produção. Na temporada passada, 29% (7,7 milhões de t) de todo a proteína animal produzida na região seguiram para outros países. A previsão é chegar aos 8,2 milhões de toneladas neste ano. “A melhoria do poder aquisitivo da população e a urbanização justificam o potencial de crescimento da demanda por proteína animal”, frisa Ferraz.

Mercado

A relação entre oferta e demanda de carne tem debate dia 27 no Fórum de Agricultura da América do Sul (16 horas). O painel “Carnes e Lácteos — O mercado da sanidade e da segurança alimentar” aponta tendências do setor. Entre os participantes está o diretor-geral do Instituto de Estudos de Mercado Agrícola da Rússia (The Institute for Agricultural Market Studies- IKAR), Dmitry Rylko.

 

 

Fonte: Gazeta do Povo – 27/11/2014

Título da Postagem: Cotações indicam que há espaço para expansão da pecuária bovina

imprensa@faep.com.br