Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 27/11/2012 - 12h00
Postado em Notícias

27/11/2012 12h00 - Postado em Notícias

Cooperativas do Paraná crescem 10% e faturam R$ 35 bilhões

A forte quebra na produção de soja do verão passado e a crise da avicultura não diminuíram o ímpeto das cooperativas do Paraná. O faturamento das 240 ‘empresas’ do setor neste ano irá ultrapassar os R$ 35 bilhões, crescimento de 10% em relação à temporada passada (R$ 32,1 bilhões). A expansão é seis vezes maior […]

A forte quebra na produção de soja do verão passado e a crise da avicultura não diminuíram o ímpeto das cooperativas do Paraná. O faturamento das 240 ‘empresas’ do setor neste ano irá ultrapassar os R$ 35 bilhões, crescimento de 10% em relação à temporada passada (R$ 32,1 bilhões). A expansão é seis vezes maior que a última projeção do Produto Interno Bruto (PIB) nacional (1,6%), realizada pelo do Banco Central.

"A receita do primeiro semestre foi de R$ 18,5 bilhões (23% superior ao mesmo período do ano passado – R$ 15 bilhões) por conta das vendas antecipadas de grãos. Teremos uma redução até dezembro. Porém, o crescimento será na ordem de 10%, chegando aos R$ 35 bilhões", aponta o presidente da Organização das Cooperativas do Para­­­ná (Ocepar), João Paulo Koslovski.

A receita cooperativista é superior ao orçamento estadual deste ano (R$ 27 bilhões), recurso utilizado em todas as áreas (saúde, educação, segurança, saneamento, infraestrutura, entre outros). As cooperativas representam 55% do Produto Interno Bruto (PIB) agropecuário do Paraná, geram 1,5 milhão de empregos e recolhem R$ 1,2 bilhão em impostos.

De acordo com o executivo, o faturamento recorde será possível em função dos ótimos preços do complexo soja e do milho e, especialmente, do avanço no processo de industrialização das empresas nos últimos anos. O setor está investindo R$ 1 bilhão em 2012 e planeja ampliar em 30% esse recurso no ano que vem.

"Hoje, 44% dos grãos produzidos no estado passam por algum processo de transformação", diz o presidente da Ocepar. O índice é dois pontos porcentuais a mais em relação ao de 2011.

A industrialização cooperativista ocorre nos mais diversos segmentos – leite, soja, cevada, trigo, aves e suínos – em todas as regiões de produção do estado. A Frimesa, de Medianeira (Oeste), investiu R$ 25 milhões neste ano na ampliação das linhas de produção de carne e leite. Para a próxima temporada, planeja injetar mais R$ 108 milhões no setor de carnes.

"O faturamento foi puxado pelo aumento no consumo interno de alimentos e pela estratégia acertada em investir em produtos de maior valor agregado", ressalta Elias José Zydek, diretor executivo da empresa, que estreou em 2011 na lista das cooperativas do Paraná que faturam acima de R$ 1 bilhão. A previ­­são é chegar a R$ 1,3 bilhão neste ano.

Em Castro (Campos Ge­­­rais), a Castrolanda também apostou nas agroindústrias para aumentar o faturamento. Nos últimos cinco anos, investiu em processamento de batata, leite e carne de cordeiro. Para 2013, a empresa colocará em funcionamento um frigorífico de suínos e uma nova Unidade de Beneficiamento de Leite (UBL) – esta em parceira com a Batavo, de Carambeí. Cada um desses dois negócios exige investimento de R$ 80 milhões.

A cooperativa de Castro prevê receita de R$ 1,4 bilhão neste ano, com crescimento de 8% em relação ao ano passado (1,3 bilhão).

65,6% foi a elevação na cotação da soja no período de um ano. De acordo com dados da Secretaria Estadual da Agricultura e do Abastecimento (Seab), a saca da oleaginosa valia, em média, R$ 41,08 em novembro de 2011 e hoje está R$ 68,04.

Gazeta do Povo

imprensa@faep.com.br