Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 17/04/2012 - 12h00
Postado em Notícias

17/04/2012 12h00 - Postado em Notícias

Cooperados aprovam plano de investimentos da Coamo

Os associados da Coamo, de Campo Mourão (PR), aprovaram um plano de investimentos de R$ 275 milhões que deverá ser realizado entre 2012 e 2014. É o maior volume de recursos destinados de uma única vez para a ampliação da estrutura da cooperativa. A maior parte será destinada ao aumento da capacidade de recebimento de […]

Os associados da Coamo, de Campo Mourão (PR), aprovaram um plano de investimentos de R$ 275 milhões que deverá ser realizado entre 2012 e 2014. É o maior volume de recursos destinados de uma única vez para a ampliação da estrutura da cooperativa. A maior parte será destinada ao aumento da capacidade de recebimento de grãos e em melhorias na estrutura já existente. Na área industrial, a produção de gordura vegetal deverá ser duplicada e está prevista a construção de um moinho de trigo.

Os investimentos foram aprovados mesmo em ano de safra menor e com expectativa de redução no faturamento. "Tivemos quebra de 25% em média na produção de verão nas áreas em que atuamos", diz o presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, sobre os problemas causados pela seca. Com isso, não deverá ser atingida a meta de recebimento de 100 milhões de sacas de grãos em 2012 (foram 92 milhões em 2011). O executivo e produtor comentou que o aumento nos preços vai compensar parte das perdas. Em 2011, o faturamento foi de R$ 5,97 bilhões.

Pelo projeto, 40 unidades de recebimento e armazenagem no Paraná, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina serão modernizadas e oito serão construídas nos dois primeiros Estados. O custo está estimado em R$ 194 milhões e a cooperativa vai elevar a capacidade de armazenagem a granel em 265 mil toneladas, para 3,6 milhões de toneladas estáticas.

Para o parque industrial estão previstos R$ 81 milhões em investimentos. A cooperativa vai duplicar a estrutura de hidrogenação e a produção de gordura vegetal vai passar para 4 mil toneladas mensais. E com o novo moinho de trigo – a Coamo já conta com um, arrendado -, a capacidade total para processamento passará a 500 toneladas diárias.

Fonte: Valor Econômico

imprensa@faep.com.br