Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 12/07/2013 - 12h00
Postado em Notícias

12/07/2013 12h00 - Postado em Notícias

Convênio amplia produção de frango no Norte do PR

Convênio firmado ontem à noite em Jaguapitã entre o abatedouro Jaguafrangos, a cooperativa de crédito Sicredi União PR e o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) vai viabilizar o aumento na produção de carne de frango no Norte do Paraná. O convênio prevê a liberação de R$ 40 milhões, em duas etapas, para […]

Convênio firmado ontem à noite em Jaguapitã entre o abatedouro Jaguafrangos, a cooperativa de crédito Sicredi União PR e o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) vai viabilizar o aumento na produção de carne de frango no Norte do Paraná.

O convênio prevê a liberação de R$ 40 milhões, em duas etapas, para a construção de 100 novos aviários por produtores integrados até o final deste ano. Com isso, a meta da empresa já no primeiro trimestre de 2014, é aumentar a capacidade de produção de abate das atuais 180 mil para 200 mil aves/dia.

O investimento, segundo estimativa da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), deve gerar empregos diretos para 100 famílias no campo e aquecer a economia da região. A Jaguafrangos tem parceria com produtores de 23 municípios em torno de Jaguapitã. "Para a região, é importante um investimento como esse, que gera empregos na construção civil, aumenta a venda de equipamentos, aquece a comercialização de insumos como soja e milho e aumenta a renda dos produtores", avalia Celso Doliveira, do Departamento Técnico-Econômico da Faep.

O Paraná é o maior produtor de carne de frango, respondendo por 28% da produção nacional, de 13,25 milhões de toneladas/ano. A Jaguá, cuja planta industrial gera dois mil empregos diretos e 1,5 mil indiretos, produz 9,5 mil toneladas de cortes de aves/mês. A produção é comercializada em todo o Brasil e também exportada para 30 países.

"A avicultura, além de manter o homem no campo, tem no agronegócio a maior geração de riqueza por metro quadrado de solo ocupado", afirma o diretor-presidente da empresa, Sidnei Bottazzari.
A primeira etapa do convênio prevê a liberação de R$ 20 milhões para a construção de 50 novos aviários. Segundo a gerente da unidade Londrina Empresas da Sicredi, Sônia Martiolli Sudo, a cooperativa tem know how no repasse de recursos do BRDE. "Temos um histórico forte nesse tipo de financiamento", diz Sônia. "É importante que investimentos assim fomentem a economia regional, tragam opções de renda e trabalho e gerem novos negócios para a cooperativa", acrescenta.

Folha de Londrina

imprensa@faep.com.br