Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 24/07/2013 - 12h00
Postado em Notícias

24/07/2013 12h00 - Postado em Notícias

Conheça as Portarias do Zoneamento Agrícola para milho e soja safra 2013/2014 no Paraná

ArquivoO Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento-MAPA divulgou as portarias no do zoneamento agrícola de risco climático no Diário Oficial da União de 11 de julho de 2013, que podem ser acessadas pelo endereço eletrônico: http://www.agricultura.gov.br/politica-agricola/zoneamento-agricola/portarias-segmentadas-por-uf Milho – A Portaria nº 53, de 8 de julho de 2013, aprova o zoneamento que rege o plantio […]

ArquivoO Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento-MAPA divulgou as portarias no do zoneamento agrícola de risco climático no Diário Oficial da União de 11 de julho de 2013, que podem ser acessadas pelo endereço eletrônico:

http://www.agricultura.gov.br/politica-agricola/zoneamento-agricola/portarias-segmentadas-por-uf

Milho – A Portaria nº 53, de 8 de julho de 2013, aprova o zoneamento que rege o plantio de milho no Paraná e apresenta-se semelhante à da safra anterior quanto aos períodos  estabelecidos para plantio.

É importante que o produtor verifique na Portaria se a semente que pretende comprar é indicada para plantio na sua região e no tipo de solo de sua propriedade. De uma safra para outra algumas cultivares deixaram de ser recomendadas e outras novas passam a ser indicadas.

Para fazer jus ao Proagro, ao Proagro Mais e à subvenção federal ao prêmio do seguro rural, o produtor deve observar as recomendações desse pacote tecnológico. Além disso, alguns agentes financeiros já estão condicionando a concessão do crédito rural ao uso do zoneamento.

Soja – O plantio da soja está regulamentado pela Portaria nº 70, de 8 de julho de 2013. Além das alterações nas cultivares, algumas saindo de recomendação e outras novas entrando, como as da 2ª geração de transgênicos, as resistentes a insetos, identificadas pelo sufixo IPRO.

Região Noroeste – Outra novidade para 26 municípios da região noroeste é que passou a ser recomendado o plantio de cultivares do grupo I em solos tipo 2, prática que não recomendada até a safra passada. Seguem os municípios com o período de plantio recomendado:

Plantio com início em 11 de outubro e término em 30 de novembro: Alto Paraíso, Altônia, Amaporã, Diamante do Norte, Douradina, Esperança Nova, Guairaçá, Icaraíma, Itaúna do Sul, Ivaté, Loanda, Maria Helena, Nova Londrina, Pérola, Planaltina do Paraná, Porto Rico, Querência do Norte, Santa Cruz do Monte Castelo, Santa Izabel do Ivaí, Santa Mônica, São Jorge do Patrocínio, São Pedro do Ivaí, Tapira, Terra Rica, Umuarama, Xambrê.

 

Saiba mais sobre o Zoneamento Agrícola de Risco Climático

O Zoneamento Agrícola de Risco Climático é um instrumento de política agrícola e gestão de riscos na agricultura. O estudo é elaborado com o objetivo de minimizar os riscos relacionados aos fenômenos climáticos e permite a cada município identificar a melhor época de plantio das culturas, nos diferentes tipos de solo e ciclos de cultivares. A técnica é de fácil entendimento e adoção pelos produtores rurais, agentes financeiros e demais usuários.

São analisados os parâmetros de clima, solo e de ciclos de cultivares, a partir de uma metodologia validada pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e adotada pelo Ministério da Agricultura. Desta forma são quantificados os riscos climáticos envolvidos na condução das lavouras que podem ocasionar perdas na produção. Esse estudo resulta na relação de municípios indicados ao plantio de determinadas culturas, com seus respectivos calendários de plantio.

O Zoneamento Agrícola de Risco Climático foi usado pela primeira vez na safra 1996 para a cultura do trigo. Recebe revisão anual e é publicado na forma de  portarias,, no Diário Oficial da União e no site do ministério. Atualmente, os estudos de zoneamentos agrícolas de risco climático já contemplam 40 culturas, sendo 15 de ciclo anual  e 24 permanentes, além do zoneamento para o consórcio de milho com braquiária, alcançando 24 Unidades da Federação.

imprensa@faep.com.br