Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 27/03/2015 - 12h11
Postado em Milho, Soja, Trigo

27/03/2015 12h11 - Postado em Milho, Soja, Trigo

Informe – SOJA, MILHO E TRIGO 27/03/2015

Confira a análise econômica da FAEP dos preços da soja, milho e trigo

Tânia Moreira, economista do Departamento Técnico e Econômico da FAEP

SOJA FECHA EM BAIXA ESPERANDO ESTIMATIVA DE ÁREA NOS ESTADOS UNIDOS

TABELA1Nesta quinta-feira (26) os contratos futuros de soja continuaram a cair como na quarta e na terça-feira. O contrato futuro de março perdeu 0,43% fechando em US$ 9,74/bushel.
Nem mesmo os dados positivos das exportações americanas, contiveram as perdas. De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) as exportações americanas de soja na semana encerrada em 19 de março totalizaram 505,8 mil toneladas com aumento de 48% em relação a semana passada e 54% em relação a média das últimas quatro semanas. As exportações da safra nova totalizaram 220,2 mil toneladas. No acumulado da safra as exportações totalizaram 48,481 milhões de toneladas contra as 48,720 projetadas pelo USDA (atingiram 99% do que era previsto para exportação até agosto-15) e acima das 44,4 milhões de toneladas exportadas na mesmo período do ano anterior.

O que parece ter maior influência no momento é a expectativa em relação a área de plantio da safra 2015/16 que será divulgado pelo USDA em 31 de março. Segundo a consultoria Safras e Mercados são relatadas estimativas de até 34,77 mil hectares contra as 33,79 milhões de hectares previstos pelo USDA, inicialmente em seu Agricultural Outlook Forum em fevereiro. Outras consultorias apostam em redução da área, por exemplo a Informa Economics com 547 mil hectares a menos, apostando em 35,40 contra os 35,62 mil hectares, inicialmente previstos.
No entato a questão central e mais duradoura será: qual a redução de área (se realmente houver) que será suficiente para mudar o quadro de oferta e demanda atual, fazendo os preços mudarem. Considerando a previsão ainda do USDA de fevereiro, a área de 33,79 milhões de hectares poderia resultar na produção de 103,4 milhões de toneladas, o que seria o segundo recorde de produção de soja nos Estados Unidos.
No Brasil e na Argentina a colheita de safras recordes também parece influenciar os preços. No Paraná o percentual colhido é de 77% segundo dados da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (SEAB). E o percentual comercializado era de 27% até 13 de março, abaixo dos 46% comercializados no mesmo período do ano anterior, segundo informações da Safras e Mercados.
O preço médio recebido pelo produtor na semana foi de R$ 61,02/saca segundo informações da SEAB.

MILHO EM BAIXAS COM DADOS MAIS FRACOS DA EXPORTAÇÃO AMERICANA

O milho fechou em baixa ontem da Bolsa de Chicago, perdendo 0,94% no valor de US$ 3,91/bushel (R$ 29,49/saca).

tab 3

Os fracos dados das exportações americanas refletiram nos preços de ontem. Segundo o USDA, na semana encerrada em 19 de março as exportações totalizaram 435 mil toneladas, 13% abaixo da semana passada e 29% abaixo da médias das últimas quatro-semanas. No acumulado do ano as exportações atingiram 36,9 milhões de toneladas contra as 45,7 milhões previstas pelo USDA para serem exportadas. Em igual período do ano passado as exportações acumuladas eram de 40,2 milhões de toneladas.
Outro dado desta quinta-feira foi as projeções feitas pelo Conselho Internacional de Grãos que estimou redução na produção mundial de milho de 990 milhões de toneladas na safra 14/15 para 941 milhões na safra 15/16, estimando uma queda dos estoques para o milho de pelo menos 10%.
Para o milho também segue a expectativa em torno do relatório do USDA de 31 de março, próxima terça-feira, sobre a área de plantio da safra 2015/16, com expectativa de redução de área, lembrando que o produtor americano tem de maio até junho para o plantio de milho e que enquanto isso as atenções seguem voltadas também para as condições climáticas lá. Além disso, o desenvolvimento da safrinha brasileira também conta para a formação dos preços.
A partir de dados da Safras e Mercados o percentual do plantio do milho safrinha no Brasil, no Centro- Sul é de 98,3% contra os 96,3% da safra passada. No Paraná este percentual é de 96% contra os 92% da safra passada.

TRIGO EM BAIXA COM DADO DE EXPORTAÇÃO

Os dados da exportação americana na semana encerrada em 19 de março também afetaram os preços do trigo, reduzindo-os na Bolsa de Chicago, nesta quinta-feira.tab 4
Segundo o USDA foram exportadas 102,3 mil toneladas de trigo com redução de 74% em relação a semana anterior e 75% em relação à média das últimas quatro semanas anteriores. No acumulado do ano foram exportadas 22,7 milhões de toneladas contra as 24,4 milhões previstas pelo USDA.
Para o trigo o Conselho Internacional de Grãos também estimou que deve haver uma redução da produção mundial na safra 15/16 passando de 719 para 709 milhões de toneladas, com os estoques mundiais passando de 198 para 196 milhões de toneladas.
Outros:
– O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística(IBGE) divulgou hoje a variação do PIB de 2014 que manteve-se estável diante de 2013, com variação positiva de apenas 0,1%, marcando o pior resultado desde o ano de 2009. A agropecuária destacou-se entre as atividades, registrando crescimento de 0,4%.
– No quarto trimestre do ano enquanto o PIB cresceu 0,3% a agropecuária havia crescido 1,8%.
– O PIB per capita brasileiro de 2014 recuou 0,7% em relação ao de 2013.

 

 

Título da Postagem: Informe – SOJA, MILHO E TRIGO 27/03/2015

imprensa@faep.com.br