Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 09/08/2013 - 12h00
Postado em Notícias

09/08/2013 12h00 - Postado em Notícias

Conab eleva estimativa para produção de etanol de 2013/14

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estimou no seu relatório de agosto que a produção de etanol no ciclo 2013/14 será de 27,1 bilhões de litros no Brasil, aumento de 1,4 bilhão de litros, ou 5,4%, em relação aos 25,7 bilhões previstos no relatório de março. É também 15% maior que a produção do ciclo […]

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estimou no seu relatório de agosto que a produção de etanol no ciclo 2013/14 será de 27,1 bilhões de litros no Brasil, aumento de 1,4 bilhão de litros, ou 5,4%, em relação aos 25,7 bilhões previstos no relatório de março. É também 15% maior que a produção do ciclo anterior, o 2012/13.

O maior aumento virá da região Centro-Sul, que deve produzir 25,279 bilhões de litros do biocombustível neste ciclo, ante as 23,8 bilhões de litros projetados pela estatal em março.

Para o açúcar, a Conab prevê que a produção alcançará 40,9 milhões de toneladas no país, uma queda de 6% em relação às 43,5 milhões de toneladas estimadas em março e recuo de 6,88% ante o ciclo 2012/13. Para a região Centro-Sul, a companhia estimou agora em agosto uma produção de 36,7 milhões de toneladas da commodity, um recuo em relação aos 39,1 milhões de toneladas projetadas no relatório de março.

Na visão da Conab, a colheita de cana-de-açúcar deve alcançar no país 652 milhões de toneladas em 2013/14, aumento de 10,7% em relação às 588,92 milhões de toneladas do ciclo anterior. O número, porém, é 0,27% inferior às 653,8 milhões de toneladas estimadas em março pelo órgão. O Centro-Sul, região que concentra a produção canavieira no país, deve responder pela oferta de 594 milhões de toneladas.

O levantamento aponta ainda uma elevação de 3,7% na área de corte de cana no Brasil, que passou a 8,8 milhões de hectares. Já a área de renovação dos canaviais deverá alcançar 969 mil hectares, sendo 872,8 mil hectares somente no Centro-Sul, o que equivale a 11% das lavouras atuais.

Valor Econômico

imprensa@faep.com.br