Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 22/11/2013 - 12h00
Postado em Trigo

22/11/2013 12h00 - Postado em Trigo

Como estão os negócios com trigo paranaense?

E o trigo do Paraná? Como estão os preços, os reportes de qualidade e negócios neste momento? O estado ainda não finalizou a colheita, mas mesmo com produto de qualidade escasso, sofre com a boa oferta em estados vizinhos e o grande volume comprado anteriormente na importação. Em resumo temos vendedores ainda reclamando de baixo […]

E o trigo do Paraná? Como estão os preços, os reportes de qualidade e negócios neste momento? O estado ainda não finalizou a colheita, mas mesmo com produto de qualidade escasso, sofre com a boa oferta em estados vizinhos e o grande volume comprado anteriormente na importação.

Em resumo temos vendedores ainda reclamando de baixo ritmo de negócios, com alguns até mesmo sem “bids” de compradores. O triguilho anteriormente valorizado já nem tem aparecido demanda e a questão do armazenamento para a safra de verão já começa a pesar.

Trigo gaúcho agora com redução de ICMS está pressionando os vendedores paranaense (Trigo RS passou de 12 para 8% a alíquota) e assim os moinhos adquirem apenas as ofertas que compensam, salvo algumas empresas que possuem relação mais estreita com produtores.

Falando-se por região, temos fonte de Londrina com pedidas a R$ 800/ton sem negócios realizados mais nestes preços. O mesmo ocorre com entrevistado em Maringá, sem mesmo oferta de compradores neste momento, por conta das atenções voltadas ao trigo gaúcho.

Preços oferecidos por moinhos locais estão em R$ 740-760/ton dependendo do produto disponível e há reportes de devoluções de lotes por conta de questões de qualidade, como a estabilidade e a relação p/l em lotes comprados anteriormente por preços superiores.
Fontes da região dos Campos Gerais estão também com pedidas a R$ 800/ton, mas o fato é que compradores oferecem entre R$ 730-750/ton. Lotes com prevalência de exigências mínimas de qualidade panificável, como ph 78, falling number de 250s e força de glúten (W) em 200-250.

Aliás a questão da qualidade do trigo paranaense foi abordada por um moinho paranaense esta semana, sendo que há baixíssima disponibilidade de trigo para fabricação de farinhas de panificação, sendo necessária a mescla com trigo americano para suprir as especificações principalmente de farinhas para indústrias de panificação.

No Oeste do Estado, vendedores comumente consultados não tem realizado negócios e com as diferentes classificações disponíveis estão ofertando a R$ 750-800/ton.

Apenas a título de curiosidade, o trigo gaúcho a R$ 650/ton teoricamente chegaria no mínimo a R$ 770/ton no máximo R$ 800/ton no Estado do Paraná (inclusos fretes e ICMS de 8%).

Fonte: AF News Análises  – 22/11/2013

Título da Postagem: Como estão os negócios com trigo paranaense?

imprensa@faep.com.br