Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 12/12/2012 - 12h00
Postado em Notícias

12/12/2012 12h00 - Postado em Notícias

Colheita recorde de grãos deve elevar valor do frete

O setor de grãos já projeta aumento de 30% no valor do frete cobrado para escoar a safra 2012/2013. A majoração no preço do transporte, de acordo com André Pessoa, diretor da Agroconsult, é resultado de uma logística incompatível com a colheita recorde de milho e soja que o Brasil obteve. "O que os produtores […]

O setor de grãos já projeta aumento de 30% no valor do frete cobrado para escoar a safra 2012/2013. A majoração no preço do transporte, de acordo com André Pessoa, diretor da Agroconsult, é resultado de uma logística incompatível com a colheita recorde de milho e soja que o Brasil obteve.

"O que os produtores e exportadores obtiveram de benefício com a redução dos juros serão perdidos pelo custo do frete", disse Pessoa ontem, em encontro de representantes do setor do agronegócio realizado na Federação da Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp), na Capital paulista.

É esperado que o País colha 75 milhões de toneladas de milho na temporada 2012/2013 e 85 milhões de toneladas de soja. No caso do milho, o Brasil é um dos poucos países que atualmente possuem excedente exportável – houve quebra de safra nos Estados Unidos. Entretanto, a remessa de grãos compete por espaço nos caminhões com as cargas de açúcar, que já começam a chegar ao Porto de Santos, no Estado de São Paulo.

O escoamento pelo Porto de Paranaguá, no Paraná, tem se mostrado tanto ou mais complicada do que por Santos. Enquanto os navios fazem filas para atracar, resta aos caminhões aguardar por dias nos acostamentos da BR-277 até que possam descarregar. "Em Paranaguá, os caminhões são usados como armazéns", enfatizou o diretor da Agroconsult.

Não bastasse a concorrência de cargas nas carretas e infraestrutura limitada dos portos, estimasse que hoje exista um déficit de 20 mil caminhões para atender a toda a demanda. Um número que, de acordo com Pessoa, é potencializado pela Lei n° 12.619/2012, que regulamentou a jornada de trabalho de motoristas profissionais, estabelecendo horários de descanso ao longo do trajeto. A soma de demanda aquecida e baixa disponibilidade de caminhões é que leva o setor a estimar crescimento de 30% no custo do frete.

Preços – Pessoa projeta o preço médio do milho, na safra 2012/2013, em US$ 7 a saca. O preço, considerado elevado, é resultado da quebra de safra dos Estados Unidos e consequente falta do grão no mercado. Os preços do milho só devem arrefecer um pouco a partir do segundo trimestre do próximo ano, mas o grão continuará bastante valorizado.

Para a soja, o preço médio projetado pela Agroconsult para a safra 2012/2013 é de US$ 13,5 a saca. "Os preços altos dos grãos devem manter elevado o custo da ração, uma preocupação para a pecuária", afirmou Pessoa.

ATR Brasil

imprensa@faep.com.br