Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 05/09/2017 - 13h25
Postado em Destaques, Notícias

05/09/2017 13h25 - Postado em Destaques, Notícias

Campo Futuro avalia custos de produção de pinus em Ponta Grossa

Segundo levantamento, receita da atividade não cobre o custo total. Fase de colheita representa o maior gasto

O projeto Campo Futuro da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA), que realiza o levantamento dos custos de produção das principais atividades do agronegócio, esteve em Ponta Grossa (Campos Gerais), no dia 7 de junho, para levantar os custos de produção da cultura de pinus.

Esta é a primeira vez que que a confederação trabalha com esta atividade no Campo Futuro. A escolha de Ponta Grossa se deu em função da representatividade econômica do setor florestal na região, que movimenta diversas indústrias processadoras de madeira, gerando emprego e renda. O Paraná se destaca na silvicultura com a segunda maior área plantada de pinus e eucalipto do país, com 1,6 milhão de hectares, atrás somente de Minas Gerais com 1,8 milhão de hectares.

De acordo com o estudo, o custo mais significativo do processo produtivo ocorre na colheita e na pós-colheita. Em média, o produtor gasta R$ 54,73 por tonelada com essas atividades, durante os três cortes que ocorrem ao longo do ciclo de 21 anos da cultura. Esse valor representa 47% do custo total (CT), que é de R$ 116,21 por tonelada. Na região analisada, cabe ao produtor colher a madeira e transportá-la até a indústria, diferente de outras localidades, onde existe a possibilidade de vender a madeira “em pé”, deixando a cargo do comprador a colheita e o transporte.

Leia a matéria completa.

Título da Postagem: Campo Futuro avalia custos de produção de pinus em Ponta Grossa

Notícias Relacionadas

imprensa@faep.com.br