Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 23/10/2013 - 12h00
Postado em Cafeicultura

23/10/2013 12h00 - Postado em Cafeicultura

Cafeicultores do Paraná buscam recursos do governo federal

Lideranças da cafeicultura do Paraná querem que o governo federal libere recursos para a implantação de novos pés de café. A atividade no Estado, que já vem registrando queda de área nos últimos anos diante dos altos custos de produção e concorrência com outras culturas, teve perdas de qualidade com as chuvas registradas na colheita […]

Lideranças da cafeicultura do Paraná querem que o governo federal libere recursos para a implantação de novos pés de café. A atividade no Estado, que já vem registrando queda de área nos últimos anos diante dos altos custos de produção e concorrência com outras culturas, teve perdas de qualidade com as chuvas registradas na colheita deste ano (safra 2013/14) e o potencial produtivo para a próxima temporada afetado com as geadas neste inverno.

Pelos cálculos do Departamento de Economia Rural (Deral), ligado à secretaria estadual de Agricultura, cerca de 20% da área total com o grão no Paraná (em torno de 82 mil hectares) será erradicada.

A Câmara Setorial do Café do Paraná já encaminhou há cerca de 30 dias ao Ministério da Agricultura e Ministério do Desenvolvimento Agrário o pedido de uma linha de crédito para implantação de novos pés de café, no valor de R$ 8 mil por hectare. A expectativa é que cerca de 20 mil hectares sejam replantados, o que totalizaria R$ 160 milhões, afirma Walter Ferreira Lima, gerente da Câmara Setorial de Café do Paraná e presidente da Comissão de Café da Federação de Agricultura e Pecuária do Estado (Faep).

De acordo com Lima, o Ministério da Agricultura sinalizou que a proposta está sendo “encaminhada”. O setor também pediu a redução de juros – de 5,5% para 3,5% – das linhas de crédito do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé), principalmente voltadas à renovação e poda dos cafezais.

As demandas da atividade foram discutidas nesta terça-feira em uma reunião extraordinária da Câmara Setorial do Café do Paraná, em Londrina, no norte do Estado.

Conforme Lima, as áreas de café mais velhas, com mais de 15 anos de idade, têm produtividade baixa e precisam ser erradicadas e substituídas com novos plantios do grão. Mas a orientação é que o produtor faça o novo plantio com espaçamento correto que permita a mecanização.

Atualmente, o custo médio variável de produção no Estado (o que o produtor gasta diretamente na lavoura) é em torno de R$ 340 a R$ 350 por saca, enquanto o preço pago é de R$ 220 a R$ 230 por saca pelo café de melhor qualidade, observa Lima.

Outra proposta do setor é que o governo estadual reduza o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) sobre o café no Estado. Segundo Lima, o pleito será “formatado” e enviado ao governo do Paraná.

Fonte : valor econômico

 

Título da Postagem: Cafeicultores do Paraná buscam recursos do governo federal

imprensa@faep.com.br