Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 21/02/2013 - 12h00
Postado em Notícias

21/02/2013 12h00 - Postado em Notícias

Brasil e Rússia fecham acordo para importação de trigo

Tudo certo para a venda do trigo russo no mercado brasileiro. Na tarde desta quarta-feira (20.02), os governos dos dois países definiram os critérios fitossanitários que garantiram a liberação, em acordo assinado durante a 4ª Comissão Brasileiro-Russa de Alto Nível, que ocorre em Brasília. As autoridades brasileiras esperam que o trigo russo acabe com o […]

Tudo certo para a venda do trigo russo no mercado brasileiro. Na tarde desta quarta-feira (20.02), os governos dos dois países definiram os critérios fitossanitários que garantiram a liberação, em acordo assinado durante a 4ª Comissão Brasileiro-Russa de Alto Nível, que ocorre em Brasília.

As autoridades brasileiras esperam que o trigo russo acabe com o risco de desabastecimento no mercado
doméstico, que sofre com a quebra de safra. Como condição para o acerto, o governo russo terá de emitir uma espécie de certificado do trigo que estiver dentro das normas fitossanitárias. O objetivo é assegurar que todos os critérios acordados com Brasil tenham sido seguidos. Técnicos brasileiros e russos já vinham durante a semana discutindo a política de comércio de grãos e a possibilidade de cooperação bilateral em pesquisas científicas, tecnológicas e educativas.

As reuniões ocorreram no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). "Do que exportamos para a Rússia, 90% são de produtos agrícolas, e 60% do que eles exportam para o Brasil é fertilizante, cujo destino também é agricultura. Portanto devemos trabalhar na tentativa de estreitar essa relação. É de extrema importância o interesse dos técnicos russos na área de cooperativismo", disse o secretário de Relações Internacionais do Mapa, Célio Porto. A Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) apresentou suas experiências com cooperação técnica internacional.

O coordenador de intercâmbio do Conhecimento da Embrapa, Luciano Nass, destacou os critérios de avaliação de produtos utilizados pelos agricultores: "Avaliamos rigorosamente a efetividade do trabalho desenvolvido por empresas na criação de produtos agropecuários, como vacinas, medicamentos, controle de parasitas etc", comentou.  Agrolink com informações de assessoria

Leonardo Gottems
Agrolink

imprensa@faep.com.br