Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 13/03/2017 - 15h00
Postado em Destaques, Meio Ambiente

13/03/2017 15h00 - Postado em Destaques, Meio Ambiente

Audiência Pública esclarece projeto da Escarpa Devoniana

Alteração nos atuais limites da Área de Proteção Ambiental, com a manutenção da proteção ao meio ambiente, irá impulsionar a economia de 12 cidades

Projeto de Lei número 527/2016, em tramitação na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), que propõe a alteração dos limites da Área de Proteção Ambiental (APA) da Escarpa Devoniana, localizada na região dos Campos Gerais e na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), foi tema da Audiência Pública realizada, no dia 10 de março, em Ponta Grossa. Cerca de 900 pessoas estiveram no Cine Teatro Ópera, na região central da cidade, para conhecer detalhes da proposta que irá impulsionar a economia dos 12 municípios abrangidos pela APA. O Sistema FAEP/SENAR-PR, Sistema Ocepar, Fetaep, sindicatos rurais e cooperativas da região participaram da audiência com grupos de produtores e trabalhadores rurais.

Atualmente, a área da Escarpa Devoniana conta com 392 mil hectares, conforme Decreto n.º 1.231, instituído em 27 de março de 1992. Porém, na época, a metodologia utilizada apresentou uma série de distorções e imprecisões. O novo projeto em análise tem como base o estudo da Fundação ABC, entidade sem fins lucrativos, e levou dois anos para ser realizado utilizando técnicas de mapeamento digital e recursos modernos que permitem estabelecer uma área condizente com a realidade.

Este estudo foi apresentado, de forma detalhada, pelo engenheiro agrônomo da Fundação ABC, Rodrigo Tsukahara, na abertura da Audiência Pública em Ponta Grossa. Durante a exposição, o pesquisador destacou o uso de geotecnologias e modelos digitais para a classificação do uso do solo na área da APA, o que permite a readequação do projeto, sem qualquer perda de áreas ambientais. O levantamento aponta que os 70% que serão reduzidos, correspondem a áreas de agricultura consolidadas, permanecendo ainda 30%. “A proposta analisou os limites atuais da Escarpa e a metodologia técnico-cientifica definiu o novo perímetro. Critérios rigorosos foram utilizados para definir os limites das áreas de produção e ambiental, incluindo levantamentos a campo”, disse Tsukahara. “Mais de 148 mil hectares de mata e meio ambiente, com cachoeiras, pinturas rupestres, o Canyon Guartelá, saltos, cavernas, furnas, o Buraco do Padre e áreas de turismo rural continuarão<preservadas”, complementou.

Leia a matéria completa aqui.

Título da Postagem: Audiência Pública esclarece projeto da Escarpa Devoniana

imprensa@faep.com.br