Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 04/04/2012 - 12h00
Postado em Notícias

04/04/2012 12h00 - Postado em Notícias

Análise: Mercado de Commodities

Por Gilda Bozza, economista da FAEP

Na Bolsa de Chicago, o movimento de realização de lucros ganhou espaço e os preços cederam mas, os fatores fundamentais continuam na ordem do dia.

No mercado da soja, num primeiro momento, a cotação chegou a US$ 31,60, alta equivalente a US$ 0,28 por saca. Mas prevaleceu a realização de lucros e os contratos para maio/12 foram negociados a US$ 31,23 por saca, equivalente a R$ 57,05 por saca. Os preços da soja lograram atingir os preços mais elevados dos últimos sete meses e o pano de fundo é o quadro de oferta ajustada, demanda aquecida (mercado chinês) e redução de área de plantio com soja nos Estados Unidos.

A novidade no mercado da soja é a notícia divulgada pela Bolsa de Cereais de Rosário com o corte na estimativa da produção argentina de soja, passando de 44,5 milhões para 43,1 milhões.

No mercado do milho, a percepção de que os estoques norte-americanos podem ser menores, apontando possível oferta ajustada, impulsionou as cotações na Bolsa de Chicago. Com isso, os contratos para maio/12 fecharam a US$ 15,54 por saca, equivalente a R$ 28,39 por saca.

A tendência de mercado é continuar nervoso até a divulgação do relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos – USDA, na próxima terça-feira, dia 10, que deverá trazer as primeiras estimativas da produção norte-americana para a safra 2012/13. E após esta data, entraremos no chamado "mercado do clima" que se estende até agosto, período da evolução do plantio norte-americano, onde qualquer alteração nas condições climáticas tem interferência direta nos preços internacionais.

No mercado paranaense, os preços da soja prosseguem firmes, com média apurada pela Secretaria da Agricultura e Abastecimento (Seab) de R$ 51,24 por saca, acumulando alta, desde janeiro/12, entorno de 20,7%, saindo de R$ 42,44 por saca para os atuais R$ 51,24 por saca. Para o milho, o preço médio permanece estável, na saca de R$ 22,30 por saca. Já no caso do trigo, a média estável é de R$ 24,79 por saca.

A Seab divulgou ontem a estimativa de plantio e colheita da safra 2011/12. Na cultura da soja foram colhidas 85% da área plantada e a comercialização alcança 56%. Para o milho, a colheita atinge 77% da área cultivada e a comercialização é de 41%.

imprensa@faep.com.br