Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 03/09/2013 - 12h00
Postado em Notícias

03/09/2013 12h00 - Postado em Notícias

Agronegócio impede queda maior da balança

Os produtos do agronegócio continuam segurando a balança comercial brasileira. O desempenho desse setor até agosto impediu que a balança tivesse queda maior. Já os outros produtos que compõem o setor de básicos, como petróleo e minério de ferro, estão com desempenho pior que o registrado em 2012, conforme dados do Mdic (Ministério do Desenvolvimento). […]

Os produtos do agronegócio continuam segurando a balança comercial brasileira. O desempenho desse setor até agosto impediu que a balança tivesse queda maior.

Já os outros produtos que compõem o setor de básicos, como petróleo e minério de ferro, estão com desempenho pior que o registrado em 2012, conforme dados do Mdic (Ministério do Desenvolvimento).

Os oito principais produtos do agronegócio tiveram receitas de US$ 53,3 bilhões até agosto, 15% mais do que em igual período de 2012.

O grande destaque é a soja. Devido à elevada safra brasileira e ao apetite chinês, o Brasil exportou o correspondente a US$ 19,8 bilhões de soja em grãos no ano, 28% mais do que em igual período de 2012. O complexo soja (grãos, farelo e óleo) trouxe US$ 25 bilhões ao país.

As exportações deste ano estão tão aquecidas que o volume comercializado em agosto se manteve em 5,4 milhões de toneladas, 131% acima do registrado em 2012.

As carnes "in natura" também são outro item importante na composição das receitas da balança comercial.

Aumentos de preços externos e da quantidade exportada pelo Brasil elevaram as receitas de janeiro a agosto para US$ 8,9 bilhões, 13% mais do que em igual período anterior, aponta o Mdic.

Já o açúcar teve redução nos preços médios externos, mas o aumento no volume exportado permitiu receitas de US$ 7,8 bilhões neste ano, 13% mais do que no anterior.

O café, após ter atingido 8% das exportações do agronegócio há dois anos, mantém tendência de queda e rende menos do que o milho.

A Secretaria de Comércio Exterior registra receitas de US$ 3,3 bilhões para o milho neste ano, acima dos US$ 3,1 bilhões para o café.

Só no mês passado, as exportações de milho subiram para 3 milhões de toneladas, no valor de US$ 707 milhões.

As exportações de minério de ferro, carro-chefe da balança comercial, renderam US$ 20,3 bilhões no ano, 1% menos do que em 2012.

O maior gargalo para a balança vem do petróleo. As exportações recuam e as importações sobem. Até agosto, o país exportou US$ 7,1 bilhões em petróleo, 50% menos do que em igual período de 2012.

Já as importações de combustíveis e de lubrificantes subiram 22% no ano.

*

Trigo Os produtores paranaenses semearam 977 mil hectares de trigo neste ano, 15% mais do que os 846 mil hectares previstos no início da safra. Em relação à área de 2012, a alta é de 25%.

Potencial Os dados são de Hugo Godinho, do Deral (Departamento de Economia Rural). Com média de três toneladas por hectare, a produção poderia chegar a 2,9 milhões de toneladas.

Chuva A safra do Paraná já começou, no entanto, com problemas. Em algumas regiões houve seca; em outras, excesso de chuva, o que ocasionou o aumento de problemas fitossanitários.

Geadas As geadas do fim de julho prejudicaram ainda mais a produtividade do cereal, provocando perdas de pelo menos 1 milhão de toneladas no Estado.

Preços A redução de produção no Paraná e a alta do dólar provocaram um aumento interna nos preços do trigo, que estão 49% acima dos de há um ano e em patamares nominais recordes, diz Godinho.

Etanol O Brasil exportou 486 milhões de litros no mês passado, 62% mais do que em agosto de 2012.

*

Carne

Preços estão em alta nas praças paulistas

Os preços das carnes estão em alta no mercado paulista. Segundo a Folha, o quilo da ave viva começou a semana com valorização de 3,9%, negociado a R$ 2,70. O valor da arroba de suíno subiu e chega a R$ 66, aponta a APCS. Já o boi gordo se mantém em R$ 102,50 por arroba.

Fonte: Fonte de São Paulo

imprensa@faep.com.br