Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 16/01/2017 - 14h03
Postado em Destaques, Notícias

16/01/2017 14h03 - Postado em Destaques, Notícias

Agronegócio amplia participação nas exportações paranaenses

Setor é responsável por 75% de todos os negócios paranaenses realizados no ano passado, contribuindo para dar sustentação à balança comercial do Estado

A abertura de novos mercados impulsionou as exportações do agronegócio paranaense no ano passado, contribuindo para dar sustentação à balança comercial do Paraná. Os produtos do agronegócio são os que mais pesam na balança comercial do Estado, correspondendo a 75% de todas as exportações paranaenses realizadas no ano passado.

A participação na receita das exportações do agronegócio do Paraná na balança comercial brasileira aumentou de 13,19% em 2015 para 13,54% no ano de 2016. Apesar disso e da participação no resultado final da balança comercial, houve redução em volume e receita do agro paranaense, mas em menor proporção do que a ocorrida no brasileiro. Enquanto no âmbito nacional a queda na receita foi de 3,73%, na estadual a redução foi de 1,2%. Já em relação ao volume, o recuo nas exportações brasileiras foi de 2,68%, enquanto que no Paraná foi de 2,36%.

Vários fatores contribuíram para a redução das exportações do agronegócio paranaense, sendo o principal deles a perda de 5 milhões de toneladas de milho e soja por causa do excesso de chuvas na colheita da safra 2015/16. Os dois produtos deixaram de circular no Estado na forma de grãos, carnes e derivados, refletindo nas exportações do agronegócio paranaense. A variação do câmbio também influenciou no resultado final do faturamento. A receita do agronegócio paranaense, em 2016, atingiu US$ 11,5 bilhões, cerca de US$ 140 milhões a menos que no ano anterior, quando o faturamento atingiu US$ 11,64 bilhões.

Produtos como soja e carne de frango continuam na liderança das exportações, mas no ano passado, o aumento das exportações de açúcar e de carne suína foram os principais destaques que influenciaram no aumento das exportações do Paraná.

Soja

A soja em grão continua como líder de exportação, ao lado da carne de frango. No ano passado, no Estado, foram exportados 7,97 milhões de toneladas de soja, volume 2,5% acima do ano anterior. Apesar do aumento na exportação, a receita foi menor por causa da variação do dólar. Em 2016, a receita acumulada com a exportação de soja foi de US$ 2,95 bilhões, que corresponde a uma queda de cerca de US$ 500 milhões em relação ao ano anterior, quando o valor das exportações da oleaginosa atingiu um total de US$ 3 bilhões.

O principal destino da soja paranaense foi a China, que importou 89,2% de todo o volume embarcado, correspondendo a 7,11 milhões de toneladas enviadas para aquele País. Outros países como Tailândia, Taiwan, Paquistão e Rússia também compraram a soja paranaense.

Em contraponto à soja, o milho – que se destacou na pauta de exportações em 2015 -, teve queda de cerca de 50% no volume exportado no ano passado. Em 2016, o Paraná exportou apenas 1,84 milhão de toneladas de milho em grão, praticamente a metade do ano anterior (2015), quando foram exportados 3,64 milhões de toneladas. Os principais destinos do milho paranaense foram o Vietnã, que comprou 22% do total exportado, seguido do Japão, com participação de 17,3% e do Irã, que comprou 10,7% do volume de milho exportado.

Carne suína

A exportação de carne suína foi a que mais cresceu no volume de exportação de carnes paranaenses. Em 2016, o Paraná exportou quase 94 mil toneladas, 45,5% de aumento em relação ao volume exportado em 2015, quando foram exportadas 65 mil toneladas do produto. De acordo com os dados Agrostat/Secex, a receita subiu 33%, passando de US$ 148 milhões em 2015 para US$ 197 milhões em 2016. Cerca de 50% do volume exportado foi para Hong-Kong, seguido do Uruguai, que comprou 17,1% do volume de exportações e da Argentina, que ficou com 10,1% das exportações.

O Paraná foi o terceiro estado que mais exportou carne suína no País, com 13% de participação nas exportações brasileiras deste item. Em 2016, o Brasil contou com a abertura do mercado chinês para alavancar as exportações. Ainda de acordo com a Secex, o Brasil aumentou em 32,8% no volume e em 16,3% na receita obtida com as exportações de carne suína.

O principal mercado para a carne suína brasileira continua sendo a Rússia, com 34% de participação, seguido de Hong-Kong, com 22,8%. Mas só a China, que voltou a comprar do Brasil no ano passado, comprou o equivalente a 12,2% do volume exportado.

Carne Bovina

As exportações de carne bovina do Paraná tiveram um desempenho mais tímido em 2016, mas em ascensão, com a entrada do Irã comprando carne in natura paranaense. O Estado exportou um total de 30.625 toneladas no ano passado, um aumento de 29% sobre as exportações do ano anterior, cujo volume foi 23,7 mil toneladas.

A receita aumentou 39%, passando de US$ 77,4 milhões em 2015 para US$ 107,5 milhões em 2016. Somente o Irã aumentou em 235% o volume de compras de carne bovina, com a queda das restrições para compra de carne in natura do Paraná. Outros principais destinos foram Hong-Kong, Chile e Rússia.

Frango

O Paraná continua sendo o maior produtor e maior exportador de carne de frango, apesar da ligeira queda no preço do produto no mercado internacional. Em 2016, as exportações de frango aumentaram 4% em volume, mas tiveram queda de 2,12% na receita de acordo com os dados do Agrostat/Secex e o Sindicarne-PR.

O Estado exportou 1,5 milhão de toneladas de carnes de frango, contra 1,48 milhão de toneladas exportadas no ano anterior. A receita caiu de US$ 2,36 bilhões, em 2015, para US$ 2,31 bilhões no ano passado. Os principais destinos do frango paranaense são a Arábia Saudita, China, Emirados Árabes e Japão.

Fonte: Seab

Título da Postagem: Agronegócio amplia participação nas exportações paranaenses

imprensa@faep.com.br