Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 24/01/2019 - 07h33
Postado em Clima, Destaques, Notícias

24/01/2019 07h33 - Postado em Clima, Destaques, Notícias

Agência de meteorologia americana prevê menor chance de El Niño no primeiro trimestre

Apesar da redução, os reflexos na atmosfera já estão estabelecidos. As chuvas mais intensas no Rio Grande do Sul indicam isso

O NOAA (Centro Americano de Meteorologia e Oceanografia) reduziu de 90% para 81% a chance de termos um El Niño entre janeiro, fevereiro e março. Independentemente dessa diminuição, os reflexos na atmosfera já estão estabelecidos. As chuvas mais intensas no Rio Grande do Sul e a irregularidade das pancadas no interior do Brasil comprovam isso.

Institutos internacionais mantêm a projeção de El Niño nos próximos meses. A NOAA manteve a projeção de aquecimento no Oceano Pacífico no verão e indicou um El Niño fraco também durante o outono de 2019 no Brasil. Há 65% de chance da presença do fenômeno na próxima estação, mas aquecimento promete ser modesto, semelhante ao ocorrido no verão 2015.

O NOAA também indicou que o mês de dezembro se manteve mais próximo da neutralidade do que com viés de aquecimento no Pacífico Equatorial. Assim, o órgão manteve a informação de que a atmosfera ainda não acoplou com o oceano em dezembro.

Porém, em profundidade, ainda há águas mais aquecidas que possam subir à superfície nos próximos meses. Já a Universidade de Columbia publicou artigo indicando 82% de probabilidade de consolidação do El Niño no trimestre janeiro-fevereiro-março e 66% no trimestre março-abril-maio (outono), na sua última atualização.

Enquanto isso, a atmosfera começa a se mostrar mais aquecida e extremos de calor já foram observados desde o fim do ano passando entre o Sul e o Sudeste. Fatores como a época do ano ou ondas atmosféricas tropicais e até mesmo bloqueios atmosféricos tiveram um peso maior na distribuição de chuva neste início do verão do que o aquecimento do Pacífico.

Fonte: Canal Rural.

Título da Postagem: Agência de meteorologia americana prevê menor chance de El Niño no primeiro trimestre

imprensa@faep.com.br