Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 17/10/2017 - 13h49
Postado em Destaques, Notícias

17/10/2017 13h49 - Postado em Destaques, Notícias

Adeus ao pioneiro da conservação de solos

José Guilherme Lobo Cavagnari foi responsável pelos primeiros programas conservacionistas do Paraná e autoridade nacional em questões fundiárias. Nas últimas décadas atuava como consultor da FAEP

O agronegócio paranaense está em luto. No dia 10 de outubro faleceu José Guilherme Lobo Cavagnari, uma das maiores autoridades em assuntos fundiários do Brasil. Engenheiro agrônomo formado pela Universidade Federal do Paraná, Zé Guilherme, como era conhecido, atuou em diversos órgãos ligados à agricultura, como o Instituto de Terras, Cartografia e Florestas do Estado do Paraná (ITCF), Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Secretaria Estadual da Agricultura e na FAEP, na qual atuou como consultor praticamente até o dia de sua morte.

Na Federação, Cavagnari desenvolveu um trabalho de esclarecimento aos proprietários rurais sobre a questão fundiária, explicando o que a legislação estabelecia e o caminho para provar que seu imóvel rural era produtivo. Foram capacitados advogados e engenheiros agrônomos para ajudarem os produtores, afastando assim o fantasma das invasões de terra que rondavam o Paraná.

“O Zé Guilherme foi fundamental para ajudarmos os proprietários rurais nas questões fundiárias. Com o trabalho dele, conseguimos preparar os produtores para mostrarem que as suas terras eram produtivas, principalmente nos casos de invasão. Zé Guilherme também teve uma atuação muito importante na titulação de terras na faixa de fronteira”, afirmou Ágide Meneguette, presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR.

Boas práticas

Na década de 1970, o Paraná ainda não era a potência agrícola de hoje. Naquele tempo, o Estado lutava para impedir que a chuva carregasse para o leito dos rios a terra fértil. Foi nesse período que Cavagnari encampou uma campanha para a introduzir as curvas de nível e o terraceamento nas lavouras do Estado, contribuindo para a adoção de boas práticas agrícolas.

Foi responsável na época pelo Programa Integrado de Conservação dos Solos (Proics), considerado a primeira ação abrangente de manutenção de solos no Paraná. Esta iniciativa deu origem a diversos outros programas, cujas práticas foram retomadas recentemente por meio do Programa Integrado de Conservação de Solo e Água (Prosolo), lançado no Paraná em 2016, com apoio do Sistema FAEP/SENAR-PR.

“Uma mente maravilhosa, altamente competente, planejador”, disse o consultor da FAEP Dalton Celeste Rasera, que teve oportunidade de atuar ao lado do amigo Zé Guilherme. Nos últimos anos, apesar da saúde bastante debilitada, sua mente continuava afiada. Tanto que quando havia alguma dúvida em relação a temas fundiários, estava sempre pronto a dar seu parecer. Trabalhou como consultor até seu último dia de vida.

Foi casado com Dilma Adelaide Weigert Cavagnari, com quem teve quatro filhos. Deixa esposa, filhos, neta e saudades. Além de uma lacuna indelével no panteão da agronomia brasileira.

imprensa@faep.com.br